Mundo

Chegam ao fim manobras navais conjuntas de Coreia do Sul e EUA

Países planejam repetir ação no futuro como medida dissuasória contra a Coreia do Norte

Protesto em Seul contra a Coréia do Norte: tensão elevou os ânimos na Ásia (Chung Sung-Jun/Getty Images)

Protesto em Seul contra a Coréia do Norte: tensão elevou os ânimos na Ásia (Chung Sung-Jun/Getty Images)

DR

Da Redação

Publicado em 1 de dezembro de 2010 às 05h53.

Seul- Coreia do Sul e Estados Unidos colocaram fim nesta quarta-feira aos quatro dias de manobras navais conjuntas no Mar Amarelo, que planejam repetir no futuro como medida dissuasória contra a Coreia do Norte.

Os exercícios, que contaram com a participação do porta-aviões de propulsão nuclear americano George Washington, dez navios de guerra e 7.300 militares, foram anunciados depois do ataque norte-coreano contra a ilha sul-coreana de Yeonpyeong, no qual morreram dois militares e dois civis.

O coronel da Junta de Estado-Maior Conjunto da Coreia do Sul, Kim Young-cheol, disse que "houve consultas com os EUA para realizar várias rodadas de manobras militares para responder às provocações do inimigo".

O coronel, citado pela agência sul-coreana "Yonhap", assegurou que as datas e a dimensão dos exercícios não foram decididas, mas as primeiras manobras adicionais podem acontecer ainda em dezembro.

Segundo Kim, as manobras navais demonstraram o firme compromisso da aliança entre Coreia do Sul e EUA, além de enviar a mensagem de que os aliados responderão com determinação a qualquer provocação norte-coreana.

As manobras navais começaram no domingo e foram finalizadas nesta quarta-feira às 14h da hora local (3h de Brasília), e tiveram maior intensidade de fogo que as realizadas após o afundamento da embarcação sul-coreana "Cheonan", em março passado, incidente do qual Seul acusa Pyongyang.

Os exercícios foram realizados a cerca de 100 quilômetros ao sul da ilha de Yeonpyeong, onde as duas Coreias trocaram disparos de artilharia há oito dias.

A Coreia do Norte condenou as manobras conjuntas e ameaçou com uma "guerra aberta" se seu território fosse violado

Na terça-feira, o Exército sul-coreano anunciou que entre os dias 6 e 12 de dezembro irá realizar, sem parceiros, manobras navais em 29 pontos de suas águas, entre eles uma zona ao sudoeste da ilha de Daecheong, fronteiriça com a Coreia do Norte. 

Acompanhe tudo sobre:ÁsiaCoreia do SulEstados Unidos (EUA)Países ricos

Mais de Mundo

Ozempic e Wegovy "acabam" com canetas de insulina na África do Sul; entenda

Investimento estrangeiro cai 10% no Brasil em 2023, aponta relatório da ONU

Nicolás Maduro assina documento para respeitar resultados das eleições na Venezuela

Rei da Espanha recusa encontro com Milei em meio à crise diplomática, diz jornal

Mais na Exame