Mundo

Carta sobre treinamento de Mandela agora é pública

Arquivos de Estado de Israel tornaram público o documento que revela o treinamento de Nelson Mandela pelo Mossad, o serviço secreto israelense


	Helicópteros sobrevoam estátua de Nelson Mandela: em janeiro de 1962, Mandela teria deixado seu país para visitar algumas nações africanas, entre elas a Etiópia
 (Alexander Joe/AFP)

Helicópteros sobrevoam estátua de Nelson Mandela: em janeiro de 1962, Mandela teria deixado seu país para visitar algumas nações africanas, entre elas a Etiópia (Alexander Joe/AFP)

DR

Da Redação

Publicado em 23 de dezembro de 2013 às 09h41.

Tel Aviv - Os Arquivos de Estado de Israel tornaram público o documento que revela o treinamento de Nelson Mandela pelo Mossad, o serviço secreto israelense, em 1962, na Etiópia, pouco antes do retorno de Madiba à África do Sul, quando foi preso. As informações são do jornal israelense Haaretz.

O documento, intitulado "primavera negra", foi enviado por um oficial do Mossad ao Ministério dos Exteriores de Israel e detalha o treinamento do jovem líder no uso de armas e de técnicas de guerrilha.

Na ocasião, o Mossad não tinha conhecimento da verdadeira identidade de Mandela, fato que só veio à tona após sua prisão. Madiba teria dito que seu nome era David Mosbari e que era proveniente de Rhodesia (atual Zimbábue).

De acordo com o documento, Mandela teria demonstrado interesse no método de treinamento do Haganah, exército clandestino pré-Estado hebraico. Na época, Mandela já era muito ativo na luta pela resistência ao regime apartheid na África do Sul .

Em janeiro de 1962, teria deixado seu país secretamente para visitar algumas nações africanas, entre elas a Etiópia, com o intuito de entrar em contato com líderes locais e conseguir financiamento para o National African Congress (Anc) e sua ala armada. 

Acompanhe tudo sobre:ÁfricaIsraelNelson MandelaPolíticos

Mais de Mundo

Brasil é 3º país mais inseguro da América do Sul, diz Global Peace Index

Candidato à presidência denuncia 'prisão arbitrária' de assistentes na Venezuela

Pequeno município no leste da China desenvolve indústria panificadora bilionária

Após escândalo com PwC na China, KPMG e EY assumem auditorias no país

Mais na Exame