Mundo

Bombardeio da coalizão árabe deixa 10 mortos no Iêmen

O Iêmen está imerso em uma guerra civil entre as forças leais ao presidente Abd Rabbuh Mansur Al-Hadi, exilado em Riad, e os rebeldes houthis

Iêmen: o número de mortos pode aumentar (Khaled Abdullah/Reuters)

Iêmen: o número de mortos pode aumentar (Khaled Abdullah/Reuters)

E

EFE

Publicado em 26 de dezembro de 2017 às 11h55.

Sana - Pelo menos dez pessoas morreram e mais de 30 ficaram feridas nesta terça-feira em um bombardeio da coalizão árabe comandada pela Arábia Saudita contra um mercado popular na província de Taiz, no sudeste do Iêmen.

Fontes médicas informaram à Agência Efe que o número de mortos pode aumentar, já que no mercado, situado no município da Al Taaziya, situado cerca de 250 quilômetros ao sudoeste de Sana, há vários corpos desmembrados, o que dificultou a identificação das vítimas e sua apuração.

Outras 32 pessoas, entre elas mulheres e crianças, morreram ontem em bombardeios da coalizão militar liderada pela Arábia Saudita nas cercanias da capital iemenita e nas províncias de Al Hudaydah e Damar.

O Iêmen está imerso em uma guerra civil travada entre as forças leais ao presidente Abd Rabbuh Mansur Al-Hadi, exilado em Riad, e os rebeldes houthis, que controlam regiões do norte e do oeste do país, além da capital, Sana.

Acompanhe tudo sobre:Arábia SauditaExplosõesIêmen

Mais de Mundo

Dalai Lama chega a Nova York para tratamento nos joelhos

Chefe de Governo alemão pede a Milei para prestar atenção à 'coesão social'

Calor extremo mata mais de mil pessoas durante peregrinação a Meca

Ministro israelense viaja a Washington para negociações cruciais sobre guerra em Gaza

Mais na Exame