Mundo

Atrasos na ajuda dos EUA prejudicam resistência de Kiev e clima favorece avanço russo

Com a guerra em seu terceiro ano e um pacote de ajuda dos EUA preso no Congresso, a Rússia tem usado seu maior poder de fogo e de pessoal para intensificar ataques em toda a Ucrânia oriental

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 14 de abril de 2024 às 16h50.

Última atualização em 14 de abril de 2024 às 16h53.

Os atrasos na assistência militar do Ocidente prejudicam cada vez mais a capacidade da Ucrânia de combater avanços russos, avaliou o Instituto para o Estudo da Guerra, think tank sediado em Washington, nos Estados Unidos. Com a guerra em seu terceiro ano e um pacote de ajuda dos EUA preso no Congresso, a Rússia tem usado seu maior poder de fogo e de pessoal para intensificar ataques em toda a Ucrânia oriental.

"O comando militar russo provavelmente avalia que as forças ucranianas serão incapazes de se defender contra as atuais e futuras ofensivas russas devido a atrasos ou ao fim permanente da assistência militar dos EUA," disse o think tank.

O chefe militar da Ucrânia, general Oleksandr Syrskyi, disse no sábado, 13, que a situação de batalha na Ucrânia no chamado "leste industrial" havia "piorado significativamente nos últimos dias".

Em publicação feita via Telegram, Syrskyi disse que as forças russas estavam "atacando ativamente" posições ucranianas perto das cidades de Lyman, Bakhmut e Pokrovsk, e avançando à medida que o clima mais seco e quente facilitava a movimentação de veículos pesados.

O comunicado se dá em meio ao registro de mais mortes de civis no território ucraniano. Bombardeios na região de Kherson, já ocupada pela Rússia, mataram dois civis, segundo o líder instalado por Moscou no local, Vladimir Saldo.

Já a Força Aérea Ucraniana informou que dez drones do tipo Shahed russos foram abatidos sobre a região de Kharkiv, neste domingo, 14. (Fonte: Associated Press)

Acompanhe tudo sobre:UcrâniaRússia

Mais de Mundo

Tratado para preparar o mundo para a próxima pandemia termina sem acordo

Onda de calor: México registra 48 mortes devido às altas temperaturas

Pandemia de covid reduziu em quase 2 anos expectativa de vida entre 2019 e 2021

Calor sufocante deixa 22 mortos e temperaturas acima de 45ºC no México

Mais na Exame