Mundo

Ataques russos danificam 80% das usinas termelétricas ucranianas

Grande número de subestações" de transmissão elétrica também foram atingidas, segundo as autoridades locais

A usina nuclear de Zaporizhzhia, no sul da Ucrânia, em 15 de junho de 2023 (AFP)

A usina nuclear de Zaporizhzhia, no sul da Ucrânia, em 15 de junho de 2023 (AFP)

AFP
AFP

Agência de notícias

Publicado em 8 de abril de 2024 às 13h39.

Os ataques russos danificaram 80% das usinas termelétricas ucranianas e metade das usinas hidroelétricas nas últimas semanas, informou nesta segunda-feira, 8, o ministro ucraniano de Energia, denunciando "o maior ataque" contra o setor energético do país.

"Pode-se dizer que até 80% da geração de energia termelétrica foi atacada, mais da metade da geração hidroelétrica. E um grande número de subestações" de transmissão elétrica também foram atingidas, disse o ministro Guerman Galuchshenko em uma coletiva de imprensa.

"Trata-se do maior ataque contra o setor energético ucraniano", acrescentou, em referência a onda de ataques que ocorre quase diariamente e que provocou longos cortes de eletricidade em Kharkiv, a segunda maior cidade da Ucrânia.

Segundo o ministro, "a escala e o impacto" dessa nova onda de ataques "são muito mais significativos" do que os da campanha dirigida por Moscou no inverno anterior, quando milhões de ucranianos foram privados de eletricidade e aquecimento, apesar das baixas temperaturas.

O exército russo havia modificado os drones e mísseis usados para esses bombardeios, tornando-os "ainda mais perigosos", destacou Galuchshenko.

Antes da invasão russa de fevereiro de 2022, a produção de eletricidade na Ucrânia estava relativamente equilibrada entre as usinas termelétricas a carvão e gás e as nucleares, com uma porcentagem menor de energia hidroelétrica.

A central nuclear ucraniana de Zaporizhzhia, no sul, localizada na região do mesmo nome e a maior da Europa, está ocupada pela Rússia desde o início da guerra e já não produz eletricidade.

Acompanhe tudo sobre:UcrâniaRússiaGuerras

Mais de Mundo

Morte de presidente do Irã não deve gerar revolução, mas disputa silenciosa, diz especialista

EUA: Yellen pedirá a aliados europeus para atuar de modo conjunto nas sanções contra a Rússia

Julgamento de Trump entra em fase final, em meio a suspense sobre seu testemunho

Tensão entre Milei e Sánchez, primeiro-ministro da Espanha, se desdobra em crise diplomática

Mais na Exame