Mundo

Americano pode ficar 7 anos preso por difamar hotel tailandês na internet

"Não durma aqui! Não apoie a escravidão moderna do povo tailandês” escreveu o turista em sites de viagens

Praia na Tailândia: turista é processado por hotel por avaliação ruim no TripAdvisor (John Seaton Callahan/Getty Images)

Praia na Tailândia: turista é processado por hotel por avaliação ruim no TripAdvisor (John Seaton Callahan/Getty Images)

Mariana Desidério

Mariana Desidério

Publicado em 11 de outubro de 2020 às 17h01.

Última atualização em 11 de outubro de 2020 às 17h02.

Um hotel na Tailândia entrou com um processo de difamação contra um hóspede norte-americano que postou comentários negativos sobre o estabelecimento na internet. O processo pode levar a uma pena de sete anos de prisão para o americano Wesley Barnes, que atua como professor de inglês na Tailândia, caso ele seja considerado culpado por difamação e por postar informações falsas na internet. O americano passou duas noites na prisão por conta do caso.

O processo foi movido pelo Sea View Koh Chang Hotel, que fica na ilha de Koh Chang, a sudeste da capital tailandesa Bangkok. O estabelecimento tem sido criticado por ser tão duro no caso. Mas afirmou que era necessário proteger sua reputação, e que Barnes não respondeu aos pedidos para que se retratasse de suas postagens em sites de viagens.

Agora o hotel afirma que aceita encerrar o processo, caso o hóspede peça desculpas e assuma toda a responsabilidade pelo ocorrido.

O desentendimento entre hotel e hóspede começou quando Barnes e um amigo levaram uma bebida alcoólica para o jantar no restaurante do hotel, em um noite de junho, o que gerou desentendimento com um diretor do restaurante. Segundo o hotel, eles foram informados de que havia uma taxa de rolha de 16 dólares, reclamaram e, após negociação, puderam beber de sua própria garrafa sem pagar a mais.

A versão do hóspede é semelhante. Porém, ele diz que, depois do desentendimento, viu o mesmo diretor tratar um funcionário tailandês de forma abusiva. E que por isso decidiu criticar o estabelecimento na internet. “Não durma aqui! Não apoie a escravidão moderna do povo tailandês”, diz uma das postagens do americano.

De acordo com o jornal USA Today, o hotel disse que espera desculpas sinceras de Barnes ao estabelecimento e sua equipe, assim como um comunicado à mídia tailandesa e internacional, incluindo uma admissão de que suas avaliações sobre o hotel na internet eram falsas, uma carta de desculpas ao setor de promoção do turismo na Tailândia por prejudicar a indústria, uma explicação do caso à Embaixada dos Estados Unidos e um esclarecimento ao site de viagens Tripadvisor, onde Barnes postou um de seus comentários.

Acompanhe tudo sobre:HotelariaTailândiaTripAdvisor

Mais de Mundo

Governo Biden quer reclassificar maconha como droga de menor risco

TikTok banido, protestos e repressão militar: o que está acontecendo na Nova Caledônia?

Como a província chinesa de Fujian resolveu problemas de produção escassa de alimentos

Comunidade empresarial chinesa faz apelo aos EUA para cancelarem medidas de tarifas sobre produtos

Mais na Exame