“Pele perfeita”? Grupo Boticário vai deixar de usar o termo até 2024

Marcas do Grupo Boticário vão retirar os termos “normal” e “perfeito” das embalagens, rótulos e comunicações para evitar o reforço de padrões estéticos
 (Boticário/Divulgação)
(Boticário/Divulgação)
M
Mariana DesidérioPublicado em 25/01/2022 às 09:00.

O Grupo Boticário assumiu um compromisso com objetivo de tornar seus produtos mais diversos e inclusivos. Até 2024, as marcas do grupo se comprometem a retirar das suas embalagens e comunicações termos que impõem algum padrão estético.

A meta está inserida em um movimento batizado de Diversa Beleza, que tem o intuito de ressignificar os estereótipos muitas vezes usados na publicidade e abrange todas as marcas do grupo: O Boticário, Quem Disse, Berenice?, Eudora, Vult, O.U.i e Australian Gold.

Serão retirados os termos “normal” e “perfeito” das embalagens, rótulos e comunicações das marcas até 2024. A proposta parte do princípio de que essas palavras podem contribuir e reforçar padrões estéticos. Em 2020, o Grupo já havia parado de usar o termo “clareamento”.

Além do compromisso, a companhia vai criar o banco de imagens Mulheres (In)Visíveis, em parceria com a consultoria 65|10. O projeto, que entra em sua terceira edição, vai retratar a diversidade de tipos de pele, e tem a intenção de ir além dos tons, dando espaço também para condições como acne, melasma e vitiligo. O acervo fica pronto em março e terá 50 fotos, feitas pela fotógrafa cearense Karla Brights.

O movimento Diversa Beleza é uma das ações do Grupo Boticário para atingir os 16 compromissos com o futuro firmados pela companhia em 2021, dentro de uma agenda ESG. Seis desses compromissos estão relacionados a melhorar os aspectos de diversidade, equidade e inclusão, sendo que o compromisso número 13 visa “Garantir que a comunicação das marcas represente a população brasileira, sem vieses e estereótipos de nenhum tipo até 2030”.