Hábitos de consumo feminino são rastreados em pesquisa

Estudo "Beleza da Mulher Brasileira" revelou que apenas 8% estão totalmente satisfeitas com o corpo

São Paulo - Para comemorar seus 30 anos de fundação, a rede de franquias de clínicas de estética facial e corporal Onodera lança o resultado da pesquisa “A Beleza da Mulher Brasileira”, com cerca de 3.500 entrevistadas das classes A, B e C, entre 18 e 60 anos.

A Onodera contratou a Sophia Mind, empresas de pesquisa sobre o universo feminino, que ouviu as opiniões e tabulou preferências. Em relação a satisfação com o corpo, 92% das mulheres acreditam que outras pessoas reparam em seus defeitos físicos. Apenas 8% estão totalmente satisfeitas.  As duas partes que mais incomodam são: a barriga (69%), os seios (46%) e, em terceiro lugar, os glúteos (26%).

Do total, 53% das mulheres consideram que estão acima do peso ideal, 29%  delas gostariam de fazer algo diferente nos cabelos.

Entre os maiores temores da mulher em relação à beleza estão: medo de engordar, em primeiro lugar (36%), sinais do tempo (17%) e flacidez (13%).

Os momentos em que os “defeitos” mais atrapalham envolvem o relacionamento com os homens: relacionamento com parceiro, sexo ou conquista. Comparando as classes sociais, as mulheres da classe AB gostam mais de seus cabelos, enquanto as da classe C têm preferência pela boca, seios e bumbum.

Os defeitos e insatisfações com o corpo atrapalham mais a classe AB do que a classe C.

Entre os produtos de beleza mais consumidos, foram apontados, por ordem de importância: produtos para cabelo, perfume, hidratante, batom, produtos antiidade e maquiagem.


Dentre as mulheres que já fizeram tratamentos estéticos, os mais populares são drenagem e massagens (corporais) e limpeza de pele (facial). A esfoliação foi feita por 36% das mulheres tanto no corpo, quanto no rosto.

Os tratamentos já realizados pelas mulheres por ordemMulher de importância são: drenagem (60%); massagem (60%), esfoliação corporal (36%), manta térmica (16%) e tratamentos com ultrassom (15%).

As clínicas de estética são os estabelecimentos mais utilizados para esses tipos de tratamentos (34%). Salões de beleza (26%) e consultórios médicos (17%) também são frequentados.

A maioria (88%) acredita que beleza envolve também características pessoais. As mais mencionadas são auto-estima (32%), se sentir bem consigo mesmas (30%) e saúde (14%).  As características pessoais são mais importantes do que as físicas para 55% das mulheres.

A beleza influencia nas relações do dia a dia das mulheres, com o marido ou parceiro, colegas do ambiente de trabalho ou relações profissionais, amizades e com os filhos em 98% dos casos. Para este tipo de relação, as maiores preocupações são emagrecer (25%), estar bem disposta (24%) e eliminar gordura localizada (16%)

Do total, 97% acredita que sua relação profissional sofre algum tipo de interferência quando algum aspecto de beleza ou bem estar não está bem. Nesse caso, as maiores preocupações são: estar bem disposta (28%), bem vestida (18%) e emagrecer (13%).

Para 88% das mulheres suas relações de amizade sofrem interferências relacionadas a beleza e o bem estar: 18% querem estar bem dispostas; 17% querem parecer simpáticas; 14% desejam emagrecer (para serem melhor aceitas no grupo).

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.