Marketing

Comercial brasileiro ganha 'prêmio máximo' em Cannes

Comercial "100", feito para a marca de câmeras Leica, emociona ao fazer grande homenagem à fotografia

Comercial da Leica: prêmio brasileiro em Cannes (Reprodução)

Comercial da Leica: prêmio brasileiro em Cannes (Reprodução)

Guilherme Dearo

Guilherme Dearo

Publicado em 29 de junho de 2015 às 12h20.

São Paulo - O comercial "100", que celebrou os 100 anos da marca Leica em 2014, ganhou o Grand Prix de Filme no Festival de Cannes, que terminou no sábado (27). Assim, a campanha se consagrou no topo no festival este ano.

O filme ainda levou dois Leões de Ouro na categoria "Film Craft".

Apesar de ganhar um Grand Prix em qualquer categoria seja o prêmio máximo, a categoria de Filme costuma ser a mais prestigiada e de resultado mais ansiosamente aguardado.

"100", elogiado no mundo todo, foi criado pela agência brasileira F/Nazca Saatchi & Saatchi e traz uma narrativa sobre a importância da fotografia.

Com dois minutos de duração, é uma verdadeira aula de fotografia.

O narrador conta que a Leica mudou a história dessa arte ao tirar as câmeras dos estúdios e levá-las para as ruas e casas, para o cotidiano das "pessoas normais".

35 fotos icônicas são reproduzidas na campanha, como imagens clássicas de Henri Cartier-Bresson, William Klein, Diane Arbus e Robert Capa.

É uma declaração de amor poética e pungente sobre a fotografia no século 20 e sua relação com a história e os pequenos acontecimentos do cotidiano.

Além do aniversário de um século da Leica, o comercial anunciava também a inauguração da galeria da marca em São Paulo.

Assista:

yt thumbnail

Algumas das grandes fotografias da história homenageadas no filme:

- "Raising the Flag on Iwo Jima", de Joe Rosenthal

- Fotografias da missão Apollo 11 na Lua

- "Migrant Mother", de Dorothea Lange

- "Le Baiser de l'hôtel de ville", de Robert Doisneau

- "Rue Mouffetard, Paris", de Henri Cartier-Bresson

- "Behind the Gare St. Lazare", de Henri Cartier-Bresson

- "Muslim women on the slopes of Hari Parbal Hill", de Henri Cartier-Bresson

- "California, 1955", Elliot Erwitt

- "Phan Thị Kim Phúc", de Nick Ut

- "Sanaa, Yemen", de Samuel Aranda

- "General Nguyen Ngoc Loan executing a Viet Cong prisoner in Saigon", de Eddie Adams

- "Jan Rose Kasmir with flower", de Marc Riboud

- "Quang Duc self-immolation", de Malcolm Browne

- "Unknown Rebel of Tiananmen Square", de Jeff Widener

- "Retrato de Che Guevara", de Alberto Korda

- "Identical Twins, Roselle, New Jersey", de Diane Arbus

- "Segregated Water Fountains", de Elliot Erwitt

- "John Lennon and Yoko Ono", de Annie Leibovitz

- "Gun 1", de William Klein

- "Girl With Leica", de Alexander Rodchenko

- "Self Portrait with Models & Wife", de Helmut Newton

- "Seine-Maritime, Dieppe", de Henri Cartier-Bresson

- "Falling Soldier", de Robert Capa

Acompanhe tudo sobre:Agências de publicidadeCannes LionsComerciaisEmpresas alemãsempresas-de-tecnologiaFotografia

Mais de Marketing

Burger King e Stanley promovem ação com galão térmico a R$ 1; saiba como retirar

Camila Coutinho estreia no Cannes Lions como palestrante nesta quinta, 20

Em Cannes, Musk explica por que xingou anunciantes e tenta aproximação com o mercado publicitário

Cannes: CTO da OpenAI fala sobre desafios e oportunidades da IA na criatividade humana

Mais na Exame