Acompanhe:
seloMarketing

Após tuítes racistas, marcas suspendem parcerias com Cocielo

Adidas, Coca-Cola e McDonald's, que já tiveram ligação com youtuber, repudiaram tweets racistas, que foram excluídos após pedido de desculpas

Modo escuro

Continua após a publicidade
Júlio Cocielo: no Twitter, ele chegou a sugerir "exterminar os negros" (Youtube/Reprodução)

Júlio Cocielo: no Twitter, ele chegou a sugerir "exterminar os negros" (Youtube/Reprodução)

H
Hyndara Freitas, do Estadão Conteúdo

Publicado em 2 de julho de 2018 às, 20h25.

Última atualização em 3 de julho de 2018 às, 10h53.

No último sábado, 30, o youtuber Júlio Cocielo comentava o jogo entre França e Argentina pela Copa do Mundo, em seu Twitter, quando fez um comentário considerado racista sobre Mbappé, jogador negro da seleção francesa. "Mbappé conseguiria fazer uns arrastão top na praia hein [sic]", publicou ele.

Depois disso, internautas resgataram tuítes antigos nos quais ele fazia mais comentários racistas, incluindo um que até sugeria "exterminar os negros". Após a enxurrada de críticas, ele publicou uma nota se desculpando, justificou suas publicações e excluiu os tuítes antigos.

As desculpas não foram suficientes para melhorar sua imagem - o que virou um problema para as marcas que fazem ou já fizeram ações publicitárias com ele. Consumidores começaram a pedir publicamente nas redes sociais posicionamentos das empresas, e já houve retorno.

Em nota enviada ao E+, a Adidas comunicou que, por repudiar "todo e qualquer tipo de discriminação, decidiu suspender a parceria com o youtuber Júlio Cocielo".

Já o Itaú disse que o youtuber "não faz mais parte" de qualquer ação publicitária e que a empresa "repudia toda e qualquer forma de discriminação e preconceito", e espera que "o respeito à diversidade sempre prevaleça".

A Coca-Cola, que já realizou algumas ações publicitárias pontuais com o youtuber, declarou que não tem mais qualquer ligação com o youtuber e que "não tem planos para futuras parcerias", ressaltando que repudiam "qualquer forma de racismo, machismo, misoginia e homofobia" e que "o respeito à diversidade é um dos principais valores da companhia".

O McDonald's, que também já realizou ações com o youtuber, disse apenas que "não tem nenhuma relação comercial com ele". No Twitter, o Submarino disse que "repudia veementemente qualquer manifestação racista e tomará as providências necessárias", e retirou a campanha em que Cocielo aparecia do ar.

Últimas Notícias

Ver mais
Giro d’Itália no Brasil: Prova de ciclismo de estrada deve movimentar R$ 10 milhões
seloMarketing

Giro d’Itália no Brasil: Prova de ciclismo de estrada deve movimentar R$ 10 milhões

Há 12 horas

Procon-SP notifica McDonald’s por 'escassez' de McFish
seloMarketing

Procon-SP notifica McDonald’s por 'escassez' de McFish

Há 19 horas

Cirque du Soleil estreia novo espetáculo no Brasil: veja datas, horários e valor dos ingressos
seloMarketing

Cirque du Soleil estreia novo espetáculo no Brasil: veja datas, horários e valor dos ingressos

Há 21 horas

BrandSights, o primeiro programa onde grandes executivos revelam estratégias de Creator Marketing
seloMarketing

BrandSights, o primeiro programa onde grandes executivos revelam estratégias de Creator Marketing

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais