Líderes Extraordinários
Apresentado por YPO

Satisfação no trabalho é combustível para alta performance

Satisfação é força motriz para a performance – e o sucesso resulta da combinação dela com disciplina, propósito e engajamento

Colaboradores felizes são 12% mais produtivos do que seus colegas insatisfeitos. (UberImages/Thinkstock)

Colaboradores felizes são 12% mais produtivos do que seus colegas insatisfeitos. (UberImages/Thinkstock)

Publicado em 29 de fevereiro de 2024 às 12h32.

Última atualização em 29 de fevereiro de 2024 às 14h07.

Vivemos em uma era de colaboração. Como o trabalho é um ambiente coletivo - seja ele um espaço físico ou virtual, no qual as pessoas convivem presencialmente ou a distância -, é preciso que tenham satisfação em fazer parte dele.

Os líderes empresariais que buscam incessantemente a excelência devem entender que a felicidade e o bem-estar dos colaboradores não são apenas um luxo, mas, sim, uma pedra angular para o crescimento sustentável e a vantagem competitiva.

Por isso, a gestão da atualidade deve promover engajamento, satisfação e crescimento dos colaboradores, de forma que agregue valor a todos os stakeholders.

E a ciência tem apontado justamente para essa direção. Estudos na área organizacional mostram a estreita relação entre a satisfação dos colaboradores e o desempenho organizacional. Uma análise recente conduzida pela Universidade de Warwick, no Reino Unido, apontou que colaboradores felizes são 12% mais produtivos do que seus colegas insatisfeitos.

Além disso, uma clássica pesquisa publicada pela Harvard Business Review destacou que empresas com altos níveis de satisfação dos colaboradores superaram os concorrentes com até 22% mais rentabilidade.

Diante desse cenário, é fundamental que os altos executivos adotem estratégias eficazes para aumentar a satisfação dos colaboradores em suas empresas. O desafio é descobrir como, de fato, promover a satisfação no trabalho, e não apenas mascarar as disfunções do ambiente.

Por isso, não caia na cilada de achar que a solução é proporcionar um ambiente de trabalho descontraído, e acabar ignorando a construção de uma cultura organizacional que, de fato, valoriza a satisfação no trabalho. A empolgação imediata com regalias como “sexta-feira informal” ou videogames no trabalho pode ir embora depois de um tempo.

A satisfação plena, que engaja e motiva, é perene. E a resposta está numa oferta de valor que vá ao encontro do propósito e dos objetivos da empresa e do colaborador. Uma abordagem essencial é a criação de uma cultura organizacional que prioriza ambientes de trabalho saudáveis, tanto física quanto mentalmente.

E como fazer isso? A seguir, estão cinco dicas importantes que ajudarão a incluir a satisfação no trabalho como parte da cultura da empresa, buscando a alta performance:

  • Promova o equilíbrio entre trabalho e vida pessoal: viabilizar flexibilidade de horários, programas de trabalho remoto e políticas de licença parental são medidas que demonstram o compromisso da empresa com o bem-estar dos colaboradores;
  • Invista em saúde e bem-estar: iniciativas como programas de ginástica laboral, acesso a profissionais de saúde mental e benefícios que incentivam um estilo de vida saudável contribuem para o aumento da satisfação no trabalho;
  • Fomente um ambiente de confiança e transparência: é fundamental estabelecer canais de comunicação abertos e transparentes, por meio dos quais os colaboradores sintam-se confortáveis para expressar suas preocupações e ideias;
  • Dedique um tempo aos colaboradores: faça follow-up e, se possível, dedique um tempo para responder eventuais questões dos profissionais com alguma periodicidade. Mantenha uma atitude positiva, demonstre o quanto está satisfeito, mas também dê feedbacks;
  • Reconheça e valorize o trabalho de cada um: reconhecimento e recompensa pelo desempenho excepcional são aspectos-chave para a motivação e satisfação dos colaboradores.

Empresas que reconhecem a importância da satisfação dos colaboradores e investem na construção de ambientes de trabalho saudáveis estão pavimentando o caminho para o sucesso sustentável na era da colaboração.

Ao priorizar o bem-estar de seus colaboradores, as organizações não apenas cultivam uma cultura de excelência, mas também garantem um diferencial competitivo que impulsionará o crescimento e a inovação no mercado.

Isso é corroborado por uma pesquisa publicada pela Universidade da Califórnia, que indica que colaboradores que se declaram felizes no trabalho são mais produtivos e mais criativos, o que se reflete em mais inovação, melhor atendimento ao cliente e redução de custos.

Em suma, investir na satisfação dos colaboradores não é apenas questão de responsabilidade social ou moral, mas, também, uma estratégia inteligente de negócios.

Ao criar um ambiente de trabalho que priorize o bem-estar e a felicidade dos colaboradores, as organizações podem colher os frutos de maior inovação e eficiência, resultando em incremento nos resultados e aumento da competitividade no longo prazo.

Acompanhe tudo sobre:Líderes Extraordinários

Mais de Líderes Extraordinários

Ciência e espiritualidade secular: união revolucionária na luta contra as mudanças climáticas

Todos pelo Rio Grande do Sul

Diversão sem álcool: mocktails ganham espaço e desafiam a indústria de bebidas

Como a oratória pode valorizar e mudar o rumo de uma carreira?

Mais na Exame