Os melhores investimentos de agosto: Tesouro IPCA está na lista

Ranking avalia os retornos dos investimentos em renda fixa e renda variável durante o mês
Gráfico de investimento: títulos públicos indexados à inflação e fundos de ações que seguem o Ibovespa lideram o ranking do mês (primeimages/Getty Images)
Gráfico de investimento: títulos públicos indexados à inflação e fundos de ações que seguem o Ibovespa lideram o ranking do mês (primeimages/Getty Images)
Marília Almeida
Marília Almeida

Publicado em 31/08/2022 às 19:59.

Última atualização em 31/08/2022 às 20:32.

Tesouro IPCA+ 2045 liderou o ranking dos melhores investimentos de renda fixa no mês de agosto, com rentabilidade de 4,35%.

O título público negociado pelo Tesouro Direto tem rentabilidade atrelada à inflação, medida pelo variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - IPCA. Ou seja, esses títulos oferecem pagam ao investidor a variação da inflação mais uma taxa prefixada de juros.

Quer começar a investir? Abra sua conta gratuitamente no BTG Pactual

O CDI, que serve como referência para aplicações de renda fixa no período, rendeu 1,11% no mês e 10,11% nos últimos 12 meses

Os melhores investimentos de renda fixa

Veja o desempenho de fundos e títulos do Tesouro no mês.

Investimento Desempenho em agosto (em %) Desempenho em 12  meses (em %)
Tesouro IPCA+ 2045 4,35 -16,50
Tesouro prefixado 2025 2,9 3,3
Tesouro IPCA+ 2035 2,41 -4,03
Tesouro IPCA+ com juros semestrais 2045 1,89 -2,64
Tesouro IPCA+ com juros semestrais 2035 1,78 1,25
Índice Desempenho em agosto (em %) Desempenho em 12 meses (em %)
CDI 1,11 10,11
*A rentabilidade dos fundos vai até o dia 31 de agosto, dado mais atual disponível na Anbima. *O desempenho mensal dos títulos e da poupança se refere aos últimos 30 dias até a data de fechamento (28)

Matheus Spiess, analista de investimentos da Empiricus, aponta que as altas dos títulos em agosto foram causadas pelo arrefecimento dos prêmios embutidos na curva de juros futura.

"Após os prêmios de risco flertarem com patamares insustentáveis no primeiro semestre, as contas públicas apresentaram dados positivos. Em agosto também surfamos no otimismo internacional que acredita que o Fed pode ser mais contido no aumento da taxa de juros. Esse impacto é sentido especialmente em títulos mais longos, que têm maior sensibilidade a esse movimento".

Os melhores investimentos de renda variável

Entre os investimentos de renda variável, os fundos de ações índice ativo lideraram o ranking do mês, com ganhos de 8,75%.

Esses fundos têm como objetivo superar o índice Ibovespa. Para isso, se utilizam de deslocamentos táticos em relação à carteira de referência.

O Ibovespa fechou o oitavo mês do ano em alta de 6%. Esta alta colaborou para a boa performance dos fundos que seguem o índice de referência.

Veja o desempenho de fundos multimercado e ações no mês

Investimento Desempenho em agosto (em %) Desempenho em 12 meses (em %)
Fundo de ações índice ativo 8,75 -9,96
Fundo de ações valor/crescimento 8,64 -23,94
Fundos de ações livre 6,68 -15,45
*A rentabilidade dos fundos vai até o dia 31 de agosto, dado mais atual disponível na Anbima.

O que ponderar ao investir

Para todos os investimentos, a orientação é sempre lembrar que rentabilidade passada não significa garantia de rendimento futuro.

Também é importante mencionar que o ranking de investimentos considera a rentabilidade bruta das aplicações, sem descontar o imposto de renda (IR) e as taxas cobradas por fundos, gestoras e corretoras.

Onde investir R$ 10 mil? Veja opções para carteiras conservadoras, moderadas e arrojadas

Nas aplicações em fundos de ações, há cobrança de IR de 15%. Nos fundos de curto prazo, a alíquota é de 22,50% para resgates em até 180 dias e de 20% para resgates depois de 180 dias. Nas demais categorias de fundos (longo prazo), a tributação segue tabela regressiva, em que a alíquota varia entre 15% e 22,5%, conforme o prazo de vencimento.

Os títulos públicos também são tributados pela tabela regressiva de IR, enquanto a poupança não tem cobrança de IR.