Invest

IGP-M em alta: contratos de FIIs podem ser corrigidos por outro índice?

O professor Arthur Vieira de Moraes, da EXAME Invest Pro, responde dúvidas dos leitores sobre fundos imobiliários

 (Boonchai wedmakawand/Getty Images)

(Boonchai wedmakawand/Getty Images)

DR

Da Redação

Publicado em 25 de abril de 2021 às 07h05.

O professor Arthur Vieira de Moraes, especialista em fundos imobiliários da EXAME Invest Pro (a divisão de análise de investimentos da EXAME), responde perguntas de investidores em seu programa semanal. O FIIs em EXAME vai ao ar toda sexta-feira, às 15h, no canal da casa de análises no YouTube.

Aprenda a buscar renda extra com imóveis sem precisar investir milhares de reais

Veja abaixo uma das perguntas respondidas no último programa, que foi ao ar nesta sexta-feira, 23 de abril:

Dúvida do leitor: Considerando a alta atual do IGP-M (Índice Geral de Preços - Mercado), os aluguéis de fundos imobiliários (FIIs) podem ser corrigidos por outro índice?

Podem, sim, e isso já está acontecendo com certa frequência. Como o IGP-M subiu demais, houve um desequilíbrio nos contratos, então muitos inquilinos estão pedindo para que o dono do imóvel não repasse todo o IGP-M ou troque o índice pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo). 

Isso também acontece no caso dos CRIs, que são títulos de dívida imobiliária. Quando a dívida é corrigida pelo IGP-M, muitos credores e devedores estão renegociando os termos dos contratos.  

A renegociação para troca do índice de referência pode acontecer de duas maneiras: com alteração definitiva ou apenas temporária. As partes podem entrar em um acordo para trocar o IGP-M pelo IPCA apenas este ano, sem mudança de contrato, ou com troca definitiva. Neste último caso dizemos, no juridiquês, que houve “novação contratual”. A mais comum, porém, é a troca temporária, onde não há novação contratual.


Envie também sua dúvida para o professor. O endereço para envio está aqui.

No curso Construindo renda com fundos imobiliários" Arthur Vieira de Moraes ensina a investir em imóveis através de fundos imobiliários. O professor ajuda os alunos a entender como funcionam e por que é vantajoso investir em FIIs.

O conteúdo mostra como é possível diversificar a carteira, aumentar o patrimônio e a renda de forma tão ou mais segura quanto os investimentos mais tradicionais do país. Ao final do curso, o aluno é capaz de investir em fundos imobiliários e tem o conhecimento necessário sobre os mecanismos de proteção ao investimento.

Esteja sempre informado sobre as notícias que movem o mercado. Assine a EXAME

Acompanhe tudo sobre:Fundos-imobiliariosIGP-MInflaçãoIPCA

Mais de Invest

Mega-Sena acumulada: quanto rendem R$ 86 milhões na poupança

Como investir na Nasdaq?

"Se Lula indicar nome pior que Galípolo para o BC, o mercado entrará em pânico", diz Marilia Fontes

Mesmo chamada de ‘perda fixa’ a renda fixa pode pagar até IPCA + 7,5%; veja 2 títulos

Mais na Exame