Minhas Finanças

Preços de tarifas cobradas pelos bancos variam até 447,5%

Pesquisa do Procon analisou sete instituições financeiras: Banco do Brasil, Bradesco, CEF, HSBC, Itaú, Safra e Santander


	O banco que mais aumentou tarifas foi o Itaú, que reajustou 29 serviços cobrados dos clientes
 (Luísa Melo/Exame.com)

O banco que mais aumentou tarifas foi o Itaú, que reajustou 29 serviços cobrados dos clientes (Luísa Melo/Exame.com)

DR

Da Redação

Publicado em 2 de julho de 2015 às 15h54.

São Paulo - A diferença entre as taxas que os bancos cobram para a realização de serviços bancários prioritários pode chegar a 447,50%, aponta pesquisa do Procon.

Para o serviço pagamento de contas com cartão de crédito, por exemplo, os valores ficam entre R$ 4,00, pelo Banco do Brasil, e R$ 21,90 pelo Santander.

Foram analisadas sete instituições financeiras: Banco do Brasil, Bradesco, CEF, HSBC, Itaú, Safra e Santander. A pesquisa analisou quais as taxas foram adicionadas entre junho de 2014 e junho deste ano.

Os valores foram coletados nos próprios sites dos bancos. A pesquisa completa pode ser conferida aqui.

Os preços não incluem eventuais descontos dados pelos bancos para clientes que possuem aplicações financeiras, e que em alguns casos podem garantir até a isenção das tarifas pelos pacotes.

O banco que mais aumentou tarifas foi o Itaú, que reajustou 29 serviços cobrados dos clientes. Os maiores aumentos foram no saque no terminal e consulta de extrato (no mês e movimento), todas com alta de 9,38% no custo.

Em seguida, a Caixa Econômica Federal e o Bradesco foram os que mais aumentaram tarifas, 23. Em ambos os bancos, o que ficou mais caro foi a consulta do extrato, que foi elevada em 51,72% na Caixa e em 25,93% no Bradesco.

Serviços prioritários

O Conselho Monetário Nacional (CMN) determinou que os bancos devem oferecer pacotes padronizados de serviços prioritários.

Por meio da Resolução nº 4.196 de 15 de março de 2013, as instituições financeiras deverão oferecer mais três novos pacotes como opção para os clientes.

Os pacotes não incluem os serviços gratuitos obrigatórios (10 folhas de cheque, 4 saques, 2 extratos dos últimos 30 dias e 2 transferências entre contas da própria instituição).

A pesquisa confirmou que todos os pacotes padronizados praticados pelos bancos tiveram aumento em seu valor total, o maior aumento médio deles no pacote padronizado III, com alta de 9,41%.

Já a maior diferença entre pacotes se deu no pacote II: o maior valor cobrado é do Banco Itaú, de R$ 16,40, e o menor deles do HSBC, R$ 11,90, diferença de 37,82%.

Consumidor atento

A dica do Procon é para que o consumidor fique atento aos serviços inclusos no pacote contratado e verificar se os serviços oferecidos atendem às necessidades do cliente, pois utilizar serviços fora do pacote tem uma tarifa individual mais elevada.

O Procon também chama atenção para o fato de que contratar um pacote não é obrigatório e o banco não pode impor este serviço ao cliente.

Acompanhe tudo sobre:Banco SafraBancosBB – Banco do BrasilBradescoEmpresasEmpresas abertasEmpresas brasileirasEmpresas espanholasEmpresas inglesasFinançasHSBCItaúSantanderTaxas

Mais de Minhas Finanças

Veja o resultado da Mega-Sena, concurso 2736; prêmio acumulado é de R$ 40 milhões

Febraban propõe melhorias em ferramenta do Pix para devolução de dinheiro; veja o que pode mudar

Como consultar o saldo do FGTS? Veja passo a passo

Abono salarial PIS/Pasep 2024: veja calendário de pagamento

Mais na Exame