Caixa reduz juro do cheque especial de 2,9% para 1,8% ao mês

Presidente do banco, Pedro Guimarães, fez anúncio em transmissão na internet com Jair Bolsonaro e disse que taxa é menor que a de crédito pessoal
Pedro Guimarães: presidente da Caixa fez o anúncio da redução ao lado do presidente Jair Bolsonaro (Adriano Machado/Reuters)
Pedro Guimarães: presidente da Caixa fez o anúncio da redução ao lado do presidente Jair Bolsonaro (Adriano Machado/Reuters)
A
Agência O GloboPublicado em 02/07/2020 às 20:49.

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, anunciou na noite desta quinta-feira, em transmissão ao vivo ao lado do presidente Jair Bolsonaro, que o banco reduziu a taxa de juros do cheque especial de 2,9% para 1,8% ao mês.

A taxa média do cheque especial nos bancos brasileiros fechou junho em 6,67% ao mês, de acordo com dados do Banco Central, o que equivale a 117% ao ano. A nova taxa da Caixa, de 1,8% ao mês, equivale 23,9% ao ano.

— Nunca vi nada parecido. É basicamente a menor taxa, até mais baixa que de crédito pessoal — comentou Guimarães.

O presidente da Caixa acrescentou que espera reduzir ainda mais a taxa, já que o juro básico da economia, a taxa Selic, está em 2,25% ao ano, menor patamar da história.

Segundo ele, é possível fazer novas reduções e ainda manter a rentabilidade do banco.

Bolsonaro comentou que não quer que ninguém se endivide ou "vá para o cheque especial", mas recomendou que, aqueles que precisarem, recorram à Caixa.

— Como eu não entendo de economia e tá dando certo, quero continuar não entendendo — afirmou o presidente, depois de dizer que “alguns dizem que taxa Selic vai baixar mais ainda”.