Acompanhe:

Brasileiros aumentam valor retirado do cheque especial

Para diretor do Banco Central, crescimento de 4,3% é "uma notícia ruim" porque esse tipo de crédito tem juros altos

Modo escuro

Continua após a publicidade
Expansão do crédito consignado e do crédito não consignado para pessoas físicas seriam aumentos de crédito positivos (Marcos Santos /USP Imagens/Agência USP)

Expansão do crédito consignado e do crédito não consignado para pessoas físicas seriam aumentos de crédito positivos (Marcos Santos /USP Imagens/Agência USP)

E
Estadão Conteúdo

Publicado em 29 de maio de 2019 às, 18h34.

Brasília — O chefe do Departamento de Estatísticas do Banco Central, Fernando Rocha, disse nesta quarta-feira, 29, que o crescimento de 4,3% no estoque do uso do cheque especial em abril é "uma notícia ruim", já que a modalidade tem o custo mais alto dentro no crédito para as famílias.

Rocha destacou como positiva a expansão do crédito consignado e no crédito não consignado para pessoas físicas. Ele também citou a alta de dois dígitos (15,1%) nos últimos 12 meses nos saldos dos financiamentos para aquisição de veículos.

Apontou ainda o crescimento dos saldos do cartão de crédito em abril, de 2,9% no rotativo, de 2,4% no parcelado e de 1,2% da modalidade à vista.

Rocha citou também o crescimento no crédito para empresas nas modalidades com grandes saldos, como financiamento a exportações e capital de giro. Ele reforçou que a redução dos saldos nos segmentos de desconto de duplicatas e antecipação de cartão de crédito no mês passado foi um movimento pontual.

Taxas de juros e spreads

O chefe do Departamento de Estatísticas do Banco Central avaliou também que as taxas de juros e os spreads no mercado de crédito permaneceram estáveis em abril.

A taxa média de juros no crédito total, que inclui operações livres e direcionadas (com recursos da poupança e do BNDES), ficou estável em 25,3% ao ano de março para abril. Em abril de 2018, estava em 25,7%.

Rocha destacou que as taxas de juros do cartão de crédito rotativo se reduziram no mês passado.

O juro médio total cobrado no rotativo do cartão de crédito caiu 0,8 pontos porcentuais de março para abril, informou o Banco Central. Com isso, a taxa passou de 299,4% para 298,6% ao ano.

Últimas Notícias

Ver mais
Os recados de Campos Neto: aumento de incertezas e o risco de fim do ciclo de queda de juros
Economia

Os recados de Campos Neto: aumento de incertezas e o risco de fim do ciclo de queda de juros

Há 16 horas

Ibovespa cai pelo 6º pregão seguido e tem maior sequência negativa em 9 meses
seloMercados

Ibovespa cai pelo 6º pregão seguido e tem maior sequência negativa em 9 meses

Há 20 horas

Livro-bege dos EUA, dólar, IBC-Br e Petrobras (PETR4): os assuntos que movem o mercado
seloMercados

Livro-bege dos EUA, dólar, IBC-Br e Petrobras (PETR4): os assuntos que movem o mercado

Há 21 horas

Obras de proteção costeira nem sempre evitam a erosão marinha
ESG

Obras de proteção costeira nem sempre evitam a erosão marinha

Há 23 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais