Invest

Após a morte da minha mãe, meu pai tem direito de ficar no imóvel?

Especialista responde dúvida de leitor sobre imóveis. Envie você também suas perguntas

 (Spanic/Getty Images)

(Spanic/Getty Images)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 23 de abril de 2024 às 07h00.

Última atualização em 24 de abril de 2024 às 12h15.

Dúvida do leitor: Minha mãe morreu e deixou um imóvel. Ela era casada em comunhão de bens, então será dividido igualmente entre meu pai e eu. Ele teria de vender o imóvel para me dar os meus 50%, ou ele tem direito a ficar no imóvel enquanto for vivo?

No caso de falecimento de um dos cônjuges, será assegurado ao cônjuge sobrevivente, qualquer que seja o regime de bens, o direito real de habitação relativamente ao imóvel destinado à residência da família, desde que seja o único daquela natureza a inventariar, e sem prejuízo da participação que lhe caiba na herança.

De forma resumida, pode-se entender que se trata do direito de uma pessoa continuar morando na residência em que já morava com seu cônjuge falecido, de maneira vitalícia e independentemente de pagar qualquer valor pela ocupação, caso esta seja a única residência deixada entre os bens.

Este direito de moradia se sobrepõe à própria destinação dos bens do inventário, embora não altere as quantidades nele definidas. Em outras palavras, os herdeiros não podem retirar o cônjuge de sua residência para venderem ou darem outro fim a este bem enquanto a pessoa continuar morando lá, porém o direito a parte que cabe a cada um não é alterada.

*Marcelo Tapai é advogado especialista em direito imobiliário e sócio do escritório Tapai Advogados. É presidente do Comitê de Habitação da OAB/SP e diretor do Brasilcon (Instituto Brasileiro de Política e Direito do Consumidor)

Acompanhe tudo sobre:HerançaFamíliaImóveisDireito familiar

Mais de Invest

Jeff Bezos: confira o perfil do fundador da Amazon

Caixa Econômica Federal tem lucro recorrente de R$ 2,9 bi no 1º trimestre

Bolsa Família 2024: pagamento de maio começa na sexta-feira; veja calendário e quem recebe

JBS (JBSS3): melhora de margem impressiona e ação lidera alta do Ibovespa

Mais na Exame