Exame logo 55 anos
Remy Sharp
Acompanhe:

Oi encerra negociação com Anatel e resultado é pior que o esperado, diz BTG

Valor final da dívida surpreendeu negativamente; montante de R$ 6 bilhões foi adicionado ao passivo original

Modo escuro

Oi: saldo do acordo deve pressionar as ações da companhia, segundo análise do BTG Pactual (SOPA Images/Getty Images)

Oi: saldo do acordo deve pressionar as ações da companhia, segundo análise do BTG Pactual (SOPA Images/Getty Images)

B
Beatriz Quesada

Publicado em 1 de junho de 2022, 18h44.

Última atualização em 1 de junho de 2022, 19h34.

A Oi (OIBR3) divulgou na noite de ontem, 31, que chegou a um acordo definitivo com a Anatel, reguladora do mercado de telecomunicações, para reestruturar sua dívida. O saldo, no entanto, foi pior do que o esperado pelo mercado.

O total devido pela Oi, de R$ 20,2 bilhões, sofreu uma redução de 55%, passando para R$ 9,1 bilhões. Parte desse valor será paga com o R$ 1,8 bilhão que a Oi detém em depósitos judiciais, então o saldo devedor final será de R$ 7,3 bilhões. 

Porém, mesmo com o tamanho da redação, a expectativa era ainda maior. Isso porque o acordo original que a Oi fechou com a Anatel em 2020 previa um desconto de 50% na dívida e 84 meses para pagar. Mas a legislação mudou. Pela regra revisada, o desconto da dívida poderia chegar a 70%, com a Oi tendo até 120 meses para pagar, segundo as estimativas do BTG Pactual (do mesmo grupo controlador da EXAME). 

“O acordo final, anunciado ontem, prevê um desconto de 55% na dívida e 126 meses para pagar, sendo a primeira parcela paga na assinatura, seguida de seis meses de carência e o último pagamento em abril de 2033. Assim, o acordo acabou sendo pior do que esperávamos”, informou o relatório.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia

Ainda assim, a maior surpresa negativa foi o tamanho da dívida original. Durante as negociações iniciais em 2020, o passivo da Oi com a Anatel era de R$ 14,3 bilhões. Mas o novo acordo inclui um adicional de R$ 6 bilhões — valor que ainda estava na mesa de discussão durante os primeiros cálculos. Segundo o BTG, a maioria dos agentes de mercado — e a própria Oi — esperava que o montante não fosse incluído no total da dívida.

“[Para a empresa], faz sentido concordar em incluir os R$ 6 bilhões em passivos adicionais nas negociações, uma vez que foram reestruturados em condições favoráveis ​​[70% de diminuição da dívida], sem falar no fim das discussões com a Anatel”, afirmaram os analistas do banco.

Na avaliação do BTG, a notícia é positiva para quem detém títulos de dívida da Oi, mas o mesmo não pode ser dito dos acionistas. A expectativa é que a decisão pressione as ações — nesta quarta, os papéis desabaram 4,58%.

O banco informou que irá revisar seu modelo e deve publicar novas estimativas para a Oi em breve. Atualmente, a recomendação é de compra, com preço-alvo de R$ 2,30.

Últimas Notícias

ver mais
IPCA de maio aumenta pressão para BC iniciar cortes de juros
seloMercados

IPCA de maio aumenta pressão para BC iniciar cortes de juros

Há 4 horas
Bolsa abre no feriado? Veja o funcionamento da B3 no Corpus Christi
seloMercados

Bolsa abre no feriado? Veja o funcionamento da B3 no Corpus Christi

Há 5 horas
Cade aprova acordo que libera aquisição da Garoto pela Nestlé, mais de 20 anos após compra
seloMercados

Cade aprova acordo que libera aquisição da Garoto pela Nestlé, mais de 20 anos após compra

Há 6 horas
Santander anuncia a aquisição total da corretora Toro Investimentos
seloMercados

Santander anuncia a aquisição total da corretora Toro Investimentos

Há 7 horas
icon

Branded contents

ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

leia mais