Invest

No radar: Selic, Rede D'Or, estímulo e o que mais move o mercado

Casa Branca reassume negociações com democratas e coloca na mesa proposta ainda maior do que a que vinha sendo discutida

Mercado: bolsas internacionais sobem na esperança de novos estímulos até o fim do ano (Germano Lüders/Exame)

Mercado: bolsas internacionais sobem na esperança de novos estímulos até o fim do ano (Germano Lüders/Exame)

GG

Guilherme Guilherme

Publicado em 9 de dezembro de 2020 às 07h01.

Última atualização em 9 de dezembro de 2020 às 10h55.

Os mercados iniciam esta quarta-feira, 9, em tom de otimismo com os avanços nas negociações sobre um novo pacote de estímulos nos Estados Unidos. Depois de o líder da maioria republicana do Senado, Mitch McConnell, que havia sido delegado para tocas as conversas com democratas, sinalizar insatisfação com os termos do acordo, a Casa Branca reassumiu as negociações com uma nova proposta.

Representando o governo de Donald Trump, o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, voltou à mesa com uma proposta de 916 bilhões de dólares, ainda maior que o montante de 908 bilhões de dólares que havia sido sugerido em um possível acordo bipartidário. A oferta recebeu também recebeu o aval do próprio McConnell e agradou líderes democratas, embora ainda existam pontos de divergência.

Com esperanças de que o pacote de estímulo seja concretizado ainda neste ano, as bolsas europeias e os índices futuros americanos avançam nesta manhã, enquanto o dólar perde força contra seus pares e moedas emergentes.

Também motiva o tom positivo no mercado as conversas sobre um possível acordo pós-Brexit, que serão retomadas em um jantar entre o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, e a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.

Selic

No Brasil, é dia de decisão de juros. Embora sejam praticamente unânimes as apostas de manutenção da taxa Selic a 2% ao ano , os investidores aguardam ansiosos pelo comunicado pós-decisão do Comitê de Política Monetária (Copom(, que deve fornecer novas pistas sobre se a autoridade monetária planeja uma elevação de juros em breve.

Quer saber como as decisões sobre a taxa Selic afetarão seus investimentos? Leia as análises da EXAME Research

No mercado, investidores veem os 2% da taxa de juros como insustentáveis a longo prazo e já esperam por uma alta no primeiro semestre do ano que vem. Um dos pontos que tem reforçado essa expectativa são os recentes dados de inflação, que tem surpreendido a cada publicação. Na véspera, o Índice de Preço ao Consumidor Amplo (IPCA) voltou a ficar acima das estimativas e furou, pela primeira vez no ano, o centro da meta de inflação de 4%. No acumulado dos 12 meses, o IPCA está em 4,31%.

Rede D'Or

Na B3, a Rede D’or,  fez a maior oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) do ano. Em uma das ofertas mais esperadas do segundo semestre, a companhia de hospitais, levantou 11,5 bilhões de reais, com suas ações sendo precificadas a  57,92 reais, no meio da faixa indicativa entre 48,91 reais e 64,35 reais. Do total adquirido com o IPO, 8,43 bilhões de reais foram para os cofres da empresa, enquanto 2,95 bilhões de reais ficaram com antigos acionistas da Rede D'Or.

Ficou de fora do maior IPO do ano? Saiba aproveitar as melhores oportunidades com a assessoria do BTG Pactual Digital


Exame Flash
Ouça um rápido resumo das principais notícias e destaques do Brasil e do mundo em uma curadoria especial do time da Exame. Apresentação por Lucas Agrela.

Acompanhe tudo sobre:bolsas-de-valoresIbovespaSelic

Mais de Invest

Como esta gestora brasileira surfou onda das bolsas americanas e rendeu 400% em 5 anos

Quina de São João: confira o resultado e quantas apostas foram sorteadas

Veja o resultado da Mega-Sena, concurso 2740; prêmio acumulado é de R$ 86 milhões

Veja o resultado da Quina especial de São João; prêmio é de R$ 230 milhões

Mais na Exame