Mercados

Kraft Heinz desaba 20% com corte de dividendos, prejuízo e investigação

Os investidores da companhia, que é controlada pelo 3G e pela Berkshire Hathaway, tiveram três péssimas notícias na última quinta-feira

Kraft Heinz: companhia deve prejuízo de quase 13 bilhões de dólares (Scott Olson/Getty Images)

Kraft Heinz: companhia deve prejuízo de quase 13 bilhões de dólares (Scott Olson/Getty Images)

Karla Mamona

Karla Mamona

Publicado em 22 de fevereiro de 2019 às 09h53.

São Paulo - As ações da Kraft Heinz, gigante do setor de alimentos, desabaram 20,40% no after market na Nasdaq na última quinta-feira. A baixa está relacionada a três anúncios feitos pela companhia, que é controlada pelo 3G e pela Berkshire Hathaway, de Warren Buffett.

A Kraft Heinz anunciou um corte no dividendos trimestrais para 40 centavos por ação. O objetivo é acelerar o processo de desalavancagem para proporcionar maior flexibilidade ao balanço patrimonial.

Além disso, a companhia está sendo investigada pela SEC, a comissão de valores mobiliários dos Estados Unidos. A investigação é sobre as políticas contábeis de compras da empresa, já que a Kraft Heinz não teria declarado custos dos produtos vendidos.

Sobre a investigação, a empresa informou que está cooperando totalmente com a SEC, além disso está melhorando os controles e procedimentos internos para evitar que isso ocorra novamente.

Por fim, a companhia divulgou seus dados referentes ao quarto trimestre do ano passado e teve um prejuízo de US$ 12,7 bilhões, em comparação a um lucro líquido de quase US$ 8 bilhões no mesmo período do ano anterior. As vendas líquidas no período somaram US$ 6,89 bilhões mudando pouco em relação ao mesmo período de 2017.

Desta maneira, a companhia lucro de 84 centavos por ação e receita de US $ 6,89 bilhões. Esses resultados ficaram aquém das expectativas de Wall Street para lucro por ação de 94 centavos de dólar, com receita de US $ 6,93 bilhões.

Acompanhe tudo sobre:bolsas-de-valoresEstados Unidos (EUA)Kraft HeinzMercado financeiroNasdaqSEC

Mais de Mercados

STJ determina indenização de R$ 5 bilhões à CSN por disputa na Usiminas

Berkshire Hathaway, de Warren Buffett, aumenta aposta no mercado de petróleo

Nvidia ultrapassa Microsoft e é a empresa mais valiosa do mundo

Petrobras (PETR4) aceita acordo tributário: isso impacta os dividendos?

Mais na Exame