Acompanhe:

Ibovespa cede à volatilidade e cai 1,29%; recuo é de 10% no mês

Temor com a economia global foi renovado com novas projeções pessimistas dos analistas

Modo escuro

Continua após a publicidade
O Goldman Sachs revisou para baixo as estimativas para a economia brasileira (Getty Images)

O Goldman Sachs revisou para baixo as estimativas para a economia brasileira (Getty Images)

G
Gustavo Kahil

Publicado em 19 de agosto de 2011 às, 18h22.

São Paulo – Os economistas ao redor do mundo estão neste momento debruçados sobre modelos e revisando, para baixo, as suas projeções para a economia global e de vários países. Ao mesmo tempo, os analistas do mercado financeiro fazem o mesmo com as estimativas para o desempenho das ações das empresas afetadas, por sua vez, pela expectativa menor para o crescimento das economias onde operam.

Esse argumento descrito acima responde em parte o novo soluço dos mercados financeiros internacionais nesta sexta-feira após o pânico visto na quinta-feira. A bolsa brasileira acompanhou o pessimismo e terminou o dia em queda de 1,29%, aos 52.447 pontos, após muita volatilidade. Em Nova York, o índice Dow Jones, o mais acompanhado em Wall street, recuou 1,57%. O S&P 500 caiu 1,5% e o Nasdaq 100 se desvalorizou em 1,62%.

Mais cedo, na Europa, as bolsas também cederam. O setor bancário continuou sendo o principal alvo dos investidores, com os crescentes custos de financiamentos às instituições. Em Londres, o FTSE 100 recuou 1,01%. Na Alemanha, o índice DAX perdeu 2,19%. Em Paris, o CAC 40 diminuiu em 1,92%. Em Milão, o MIB teve desvalorização de 2,46% e, em Madri, o Ibex-35 retrocedeu 2,11%.

/libc/player/liquid3.swf

Revisões

As principais equipes de análise do mundo deflagraram hoje mais uma rodada de revisões para o desempenho da economia global. Nesta manhã, o banco americano JPMorgan reduziu a sua estimativa para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA no quarto trimestre deste ano de 2,5% para 1,0%, e rebaixou a previsão para o primeiro trimestre de 2012 de 1,5% para 0,5%. O Citigroup cortou sua projeção para a expansão econômica americana de 1,7% para 1,6% em 2011, e de 2,7% para 2,1% em 2012.

O Brasil não escapou dos novos cálculos. O banco Goldman Sachs agora prevê que o PIB brasileiro crescerá 3,7% em 2011 e 3,8% em 2012, ante o crescimento de 4,5% e 4%, respectivamente, projetado anteriormente. Isso representaria uma desaceleração ainda mais acentuada na comparação com a expansão econômica de 7,5% do ano passado.

Últimas Notícias

Ver mais
Carteira recomendada do BTG para março tira Vale (VALE3) e amplia exposição a setores mais cíclicos
seloOnde Investir

Carteira recomendada do BTG para março tira Vale (VALE3) e amplia exposição a setores mais cíclicos

Há 7 horas

Ibovespa fecha em alta com surpresa (positiva) do PIB de 2023
seloMercados

Ibovespa fecha em alta com surpresa (positiva) do PIB de 2023

Há um dia

Como receber dividendos ainda em março? Bradesco (BBDC3, BBDC4) e Vale (VALE3) estão na lista
seloMercados

Como receber dividendos ainda em março? Bradesco (BBDC3, BBDC4) e Vale (VALE3) estão na lista

Há um dia

Ações da Cogna (COGN3) caem 13% em fevereiro; veja quais foram as maiores quedas do Ibovespa no mês
seloMercados

Ações da Cogna (COGN3) caem 13% em fevereiro; veja quais foram as maiores quedas do Ibovespa no mês

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais