Mercados

Fitch atribui classificação BBB ao estado de São Paulo

Agência deu pela primeira vez nota ao estado e elogiou os ajustes fiscais feitos pelo governo na última década

Avenida Paulista, em São Paulo: Fitch considerou a perspectiva estável (Jurema Oliveira/Wikimedia Commons)

Avenida Paulista, em São Paulo: Fitch considerou a perspectiva estável (Jurema Oliveira/Wikimedia Commons)

DR

Da Redação

Publicado em 25 de julho de 2011 às 13h27.

Barcelona - A agência de classificação de risco Fitch Ratings atribuiu classificação inicial BBB de longo prazo em moeda estrangeira e em moeda local, com perspectiva estável, ao estado de São Paulo. Os ratings de curto prazo em moeda estrangeira e local foram assinalados em F2 e os ratings nacionais de longo e curto prazos foram classificados em AA+(bra) e F1+(bra), respectivamente.

Em nota, a Fitch afirmou que os ratings do estado de São Paulo refletem "sua sólida economia, desempenho orçamentário firme, melhora na margem operacional depois de ajustes fiscais durante a última década e renegociação de dívida". "Os ratings também refletem a flexibilidade financeira oferecida pelo governo federal ao permitir que São Paulo capitalize os pagamentos de juros devidos ao governo federal", disse a agência.

No entanto, observou a Fitch, São Paulo apresenta um alto ônus da dívida que inclui não apenas o passivo com instituições financeiras, mas também as obrigações com o governo federal. "O Estado também enfrenta potenciais pressões relacionadas a responsabilidades cruciais, como saúde, educação e previdência", acrescentou a Fitch, na primeira vez em que classifica o estado. As informações são da Dow Jones.

Acompanhe tudo sobre:Agências de ratingcidades-brasileirasEmpresasFitchMercado financeiroMetrópoles globaisRatingsao-paulo

Mais de Mercados

IBM lucra mais no 1º trimestre, mas receita decepciona

Ford amplia receita no primeiro trimestre; lucro cai para US$ 1,3 bilhão

Magazine Luiza (MGLU3) cai à mínima do ano em dia de AGO sobre grupamento de ações

Casino amarga prejuízo e queda nas vendas no 1º trimestre, após ter deixado controle do GPA

Mais na Exame