Mercados

Controlador Tauruspar vendeu quase 1,2 milhão de ações da Taurus Armas

Fabricante fica em evidência aos investidores após presidente Jair Bolsonaro assinar decreto que facilita a posse de armas de fogo no país

Empresa explica que transação foi feita para obter recursos financeiros (Pixabay/Reprodução)

Empresa explica que transação foi feita para obter recursos financeiros (Pixabay/Reprodução)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 16 de janeiro de 2019 às 14h54.

Última atualização em 8 de dezembro de 2020 às 19h17.

São Paulo - A Taurus Armas informa que seu controlador, a Tauruspar Participações S.A., fez venda de ações da própria companhia na terça, 15, dia em que a empresa fabricante de armas chamou a atenção dos investidores em meio ao decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro alterando regras para a posse de armas de fogo no País.

A Tauruspar vendeu em bolsa 260 mil ações ordinárias, ou 0,56% do total dessa classe, e 923 mil preferenciais, cerca de 3,27%. Assim, a participação total da companhia, que era de 85,06% do capital social votante passou para 84,50%.

Na terça, o papel ordinário fechou a R$ 7,00 e a ação preferencial terminou o dia negociada a R$ 6,45. Por esses valores de fechamento, a operação, portanto, corresponderia a cerca de R$ 7,77 milhões.

Em comunicado, a empresa explica que a transação foi efetuada para obtenção de recursos financeiros e não objetiva alterar a composição do controle ou a estrutura administrativa.

Na terça, as ações PN chegaram a subir mais de 4% antes do anúncio do decreto, depois passaram a cair com a percepção de que as regras foram mais brandas do que o esperado e com a informação de que o governo prepara um estudo para a abertura de mercado para a produção de armas no Brasil, e encerraram o pregão com perdas de 22,29%.

Acompanhe tudo sobre:ArmasIndústria de armas

Mais de Mercados

Após balanço, Nvidia (NVDC34) já vale mais que Amazon (AMZO34) e Tesla (TSLA34) juntas

Bolsas da Europa fecham sem sinal único, com cautela por política monetária

Gol (GOLL4) e Azul (AZUL4) disparam mais de 10% após anúncio de parceria para voos no Brasil

Em 6º pregão de queda, Ibovespa fecha semana com perda de 3%

Mais na Exame