Invest

Com CEO pressionado, Goldman Sachs vê lucro crescer 28% no primeiro trimestre

Banco de investimentos registrou saídas importantes de sua diretoria nos últimos meses

Pressionado, David Solomon teve remuneração de US$ 31 milhões no ano passado (Tiffany Hagler-Geard/Bloomberg)

Pressionado, David Solomon teve remuneração de US$ 31 milhões no ano passado (Tiffany Hagler-Geard/Bloomberg)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 15 de abril de 2024 às 11h08.

Última atualização em 15 de abril de 2024 às 11h28.

Os lucros do Goldman Sachs aumentaram 28% no primeiro trimestre à medida que as receitas de banco de investimento também cresceram, dando ao CEO David Solomon um pouco mais de tranquilidade para 2024.

O lucro líquido foi de US$ 4,1 bilhões, superando as expectativas dos analistas. Suas receitas de US$ 14,2 bilhões também aumentaram em relação ao ano anterior, graças, em parte, a um aumento de 32% nas taxas de investimento. As receitas de gestão de ativos e patrimônio também cresceram. As receitas de negociação de renda fixa e ações também aumentaram 10% em relação ao ano anterior.

Segundo informações do Yahoo Finance, os resultados vêm depois de um ano que foi o mais desafiador para Solomon desde 2019, seu primeiro ano no comando.

Duas importantes empresas de consultoria de procuração estão aconselhando os acionistas do Goldman Sachs a votarem neste mês para limitar o poder de Solomon, com resultados a serem computados na reunião anual da empresa em 24 de abril.

A proposta dos acionistas que recebeu o selo de aprovação da Institutional Shareholder Services (ISS) e da Glass, Lewis & Co. dividiria as funções de CEO e chairman, ambas atualmente ocupadas por Solomon. Uma proposta semelhante no ano passado não foi aprovada, obtendo apenas 16% dos votos.

Remuneração e mudanças na diretoria

Ainda segundo o Yahoo, a remuneração de Solomon em 2023 aumentou 24% — para US$ 31 milhões. Esse valor não só é superior aos US$ 25 milhões que ele recebeu em 2022, como também é mais do que seus rivais Brian Moynihan, Charles Scharf e Jane Fraser ganharam no Bank of America, Wells Fargo, e Citigroup, respectivamente.

"Nossos resultados do primeiro trimestre refletem a força de nossas franquias de classe mundial e interconectadas e o poder de ganhos do Goldman Sachs", disse Solomon em um comunicado à imprensa.

Apesar dos números, o banco está sob pressão após algumas saídas do alto escalão, como de Jim Esposito, que foi codiretor da divisão de bancos e mercados globais do Goldman e está saindo após quase três décadas. Esposito era visto em Wall Street como um dos possíveis sucessores de Solomon.

Outra saída recente, em março, foi a de Stephanie Cohen, chefe global de sua divisão de soluções de plataforma.

Acompanhe tudo sobre:Goldman Sachs

Mais de Invest

Veja o resultado da Mega-Sena, concurso 2729; prêmio é de R$ 47 milhões

As despesas médicas que podem ser deduzidas na declaração do Imposto de Renda

Auxílio Reconstrução de R$ 5,1 mil: moradores do RS devem confirmar dados a partir de segunda-feira

Por que Argentina de Milei tem animado o mercado, apesar de inflação recorde e retração

Mais na Exame