Acompanhe:

Ata do Copom e entrevista do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, após relatório de inflação, balizam apostas do mercado nos juros. Governo avança com agenda no Congresso e, nos EUA, o deflator PCE testa visão dovish sobre o Fed. Veja destaques:

Ata, RTI, Campos Neto e Guillen

O mercado buscará afinar as expectativas sobre a Selic na ata do Copom, na terça-feira. O comunicado da reunião desta semana manteve o guidance de cortes da mesma magnitude nas “próximas reuniões”. Ainda assim, a curva de juros projeta redução perto de 58 pontos em janeiro, o que sugere uma aposta, ainda marginal, em passo mais acelerado. “O Banco Central pode usar a ata para ajustar sua mensagem”, diz Adriana Dupita, da Bloomberg Economics. O mercado ainda monitora o relatório de inflação, que sai no dia 21, seguido por falas do presidente do BC, Roberto Campos Neto, e do diretor Diogo Guillen.

Focus pós-Copom e IBC-Br

O BC divulga na segunda-feira a Focus, com projeções dos economistas para indicadores como inflação e Selic, na primeira pesquisa semanal após o Copom que cortou a Selic para 11,75%. A penúltima semana do ano ainda inclui a divulgação do IBC-Br, tido como uma proxy mensal do PIB, no dia 20. Últimos dados de atividade frustraram as expectativas.

Agenda do governo

O governo e o presidente da Câmara, Arthur Lira, avançaram com votações nesta sexta-feira, depois da derrota do Executivo com o veto da desoneração da folha.A reforma tributária foi aprovada na última sexta-feira e seguirá para promulgação após 30 anos de discussões. A Câmara aprovou o texto-base da medida provisória que altera a tributação federal sobre subvenções de ICMS dada a grandes empresas — uma das principais apostas do ministro Fernando Haddad para zerar o déficit fiscal em 2024 — e limita os juros sobre capital próprio (JCP).

PCE testa Fed dovish

O calendário externo será relativamente mais fraco, após esta semana repleta de decisões de bancos centrais. Depois do aumento das apostas em alívio monetário em 2024, investidores avaliam no dia 22 o PCE de novembro, que deve ficar estável na comparação mensal e desacelerar de 3% para 2,8% em termos anuais. “Inflação está caindo rapidamente e permite a Powell discutir corte de juro”, diz a Bloomberg Economics. Dados americanos na semana incluem ainda consumo pessoal e PIB. Os próximos dias também reservam decisões sobre taxas de juros no Japão, Chile e Turquia.

Americanas e Sabesp

Os credores da Americanas se reúnem na terça-feira em primeira convocação para discutir o plano de recuperação da companhia. Na véspera, alguns detentores de debêntures já se encontram para avaliar as opções. Na mesma terça-feira, a Sabesp começa a ouvir potenciais coordenadores da oferta de ações, depois de lançar um pedido de proposta aos bancos do mercado, segundo o Valor.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Haddad diz que notícias econômicas desta semana aumentaram incerteza global
Economia

Haddad diz que notícias econômicas desta semana aumentaram incerteza global

Há 23 horas

Campos Neto reforça que BC intervém no câmbio somente para corrigir mau funcionamento
Economia

Campos Neto reforça que BC intervém no câmbio somente para corrigir mau funcionamento

Há um dia

Privatização da Sabesp e balanços de Netflix e TSMC: 3 assuntos que movem o mercado
seloMercados

Privatização da Sabesp e balanços de Netflix e TSMC: 3 assuntos que movem o mercado

Há um dia

Governo Tarcísio anuncia desconto de 10% na tarifa social da Sabesp com privatização
Brasil

Governo Tarcísio anuncia desconto de 10% na tarifa social da Sabesp com privatização

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais