Acompanhe:

C&A estreia em alta de 5% na bolsa brasileira

Papéis da companhia alcançaram o preço de 17,35 reais na abertura dos negócios

Modo escuro

 (Krisztian Bocsi/Bloomberg)

(Krisztian Bocsi/Bloomberg)

T
Tais Laporta

Publicado em 28 de outubro de 2019, 11h11.

Última atualização em 28 de outubro de 2019, 11h27.

São Paulo - As ações da varejista de moda C&A estrearam em alta na bolsa brasileira nesta segunda-feira (28). Os papéis da companhia, negociados sob o código CEAB3, subiram 5,15% na abertura dos negócios, alcançando o preço de 17,35 reais cada. A ação foi precificada na semana passada a 16,50 reais, o piso da faixa indicativa do IPO (abertura de capital).

O últimos relatórios sobre o IPO davam conta de que a entrada da C&A no mercado acionário pode não ser um bom negócio para o investidor. Um dos motivos mais citados pelos analistas é o fato de a maior parte dos recursos levantados na oferta primária (quando os recursos vão para o caixa da empresa) deve ser destinada para pagar dívidas com empresas do grupo.

A abertura de capital da varejista também foi viabilizada por uma oferta secundária (quando o acionista vendedor embolsa o valor levantado). Tanto a oferta primária quanto a secundária movimentaram 813,7 milhões de reais cada, somando 1,63 bilhão de reais.

A família Brenninkmeijer, dos irmãos Clemens e August cujas iniciais deram origem à marca na Holanda em 1861, foi a vendedora na oferta secundária. Os recursos da oferta primária serão usados para pagar empréstimos para empresas do grupo e para a expansão orgânica da rede.