Future of Money

Bitcoin desaba 14% após atingir máxima histórica

A liquidação pode ter sido motivada por um blecaute na região de Xinjiang, na China, que alimenta muita mineração da criptomoeda

 (KTSDESIGN/SCIENCE PHOTO LIBRARY/Getty Images)

(KTSDESIGN/SCIENCE PHOTO LIBRARY/Getty Images)

R

Reuters

Publicado em 18 de abril de 2021 às 14h50.

Última atualização em 18 de abril de 2021 às 14h54.

(Reuters) - O bitcoin, principal criptomoeda do mundo, caiu até 14% para 51.541 dólares neste domingo, 18, revertendo a maior parte dos grandes ganhos obtidos na semana passada.

A moeda chegou a cair 12 mil dólares abaixo do recorde da última quarta-feira, 14. A rival menor Ether, moeda ligada à rede de blockchain da ethereum, caiu 10% para 2.101 dólares.

O site de dados CoinMarketCap citou um blecaute na região de Xinjiang, na China, que alimenta muita mineração de bitcoin, como motivo para a liquidação.

Luke Sully, CEO da especialista em ativos digitais Ledgermatic, disse em um e-mail que as pessoas podem ter vendido por notícias da queda de energia na China.

"A queda de energia expõe uma fraqueza fundamental; que embora a rede Bitcoin seja descentralizada, sua mineração não é", acrescentou Sully.

Acompanhe tudo sobre:BitcoinCriptomoedas

Mais de Future of Money

CEO da Circle elogia inovação no mercado brasileiro e vê BC mais avançado que Fed em cripto

BTG: cripto será infraestrutura do mercado financeiro e Brasil tem janela de oportunidade

O que vem depois da aprovação dos ETFs de ether nos EUA? Executivos respondem

ETF de bitcoin da BlackRock ultrapassa GBTC da Grayscale e é o maior do mundo em ativos sob gestão

Mais na Exame