Acompanhe:

6 investimentos que não podem faltar na sua carteira em 2023, segundo especialistas do BTG Pactual

Material gratuito elaborado por analistas tem mais de 30 páginas e aborda, em detalhes, as teses do Maior Banco de Investimentos da América Latina

Descubra as melhores oportunidades para lucrar em 2023 (FG Trade/Getty Images)

Descubra as melhores oportunidades para lucrar em 2023 (FG Trade/Getty Images)

L
Leonardo Carmo

19 de dezembro de 2022, 12h36

“O cenário macroeconômico global e doméstico estará repleto de desafios em 2023”, assim começa o relatório produzido pela equipe de research mais premiada da América Latina. A partir da expertise e experiência de quase 4 décadas do BTG Pactual, um time de profissionais dedicados a capturar as melhores oportunidades do mercado criou e disponibilizou, gratuitamente, um compilado de suas principais análises e apostas para o próximo ano. 

Para 2023, a conclusão a que chegaram é a de juros mais altos e reflexos de mudanças fiscais. Segundo eles, é possível que as tensões geopolíticas entre as duas principais potências do mundo - China e EUA - ganhem mais espaço e isso dê mais volatilidade para os ativos internacionais. Por isso, mais do que nunca, é importante saber quais investimentos têm maior potencial de retorno e quais estratégias utilizar para diversificar os aportes. 

No relatório, o time do BTG Pactual aborda uma variedade de investimentos que vai desde ações até fundos imobiliários, oferecendo opções para todos os tipos de investidores. Independentemente do perfil, as recomendações e teses dos analistas podem ajudar a trazer lucros relevantes para quem segui-las. Nesta página, é possível baixar o material gratuitamente e entender mais.

Abaixo seguem 6 investimentos que os profissionais do BTG Pactual selecionaram como essenciais para a carteira em 2023.

1. CRA da Klabin

O primeiro investimento destacado pelos analistas do banco é o Certificado de Recebíveis do Agronegócio (CRA) da Klabin.  

De acordo com o relatório (que pode ser acessado na íntegra aqui), por se tratar um papel fortemente high grade, o certificado de recebível do agronegócio da Klabin se encaixa muito bem dentro do portfólio de investidores mais conservadores, podendo também receber a adesão de perfis mais moderados ou sofisticados. 

“Ativos atrelados ao IPCA oferecem como principal benefício a blindagem e proteção da carteira contra a própria inflação, sendo, portanto, imprescindível a presença dessa classe de ativos em qualquer tipo de  portfólio de investimentos”, afirmam os especialistas no material.

Os analistas do BTG ainda pontuam que, por conta de sua liderança no segmento, a empresa pode trazer perspectivas de retorno interessantes.

2. Eletrobras (ELET3)

Já na classe de equities, os profissionais do Maior Banco de Investimentos da América Latina selecionam as ações da Eletrobras (maior companhia de energia elétrica do país).

Segundo eles, a otimização de despesas e a organização corporativa da empresa são fatores determinantes para a escolha. De acordo com a projeção realizada pelo grupo, a Eletrobras poderá ter uma redução de 60% nos gastos em um período de 3 anos após 2023.

“Agora privatizada, ela deverá ganhar ainda mais relevância em termos de liquidez, se destacar como uma empresa integrada a aspectos ESG e se transformar em potencial pagadora de bons dividendos”, explicam os analistas no relatório. Para consultá-lo na íntegra, basta clicar aqui.

3. Minerva (BEEF3)

No setor agropecuário, os especialistas do BTG Pactual começam destacando a Minerva Foods. Hoje ela é uma das maiores empresas produtoras de carne bovina in natura e processada do país, além de estar entre as três maiores exportadoras de proteínas. 

De acordo com o relatório, no terceiro trimestre de 2022, o volume de abate da indústria cresceu 14% a/a, demonstrando o ciclo do gado positivo que o país teve como um todo. A expectativa do banco é que a companhia mantenha o desempenho e aproveite a demanda de exportação de carne bovina para o exterior.

“A entrada dos EUA em fase de menor disponibilidade de gado é um bom presságio para um período sustentável de altos preços de carne”, afirmam os analistas no documento.

Em resumo, a conclusão é a de que “a ação deve continuar refletindo o bom momento operacional dado que enxergamos potenciais revisões positivas do consenso em 2023”.

4. Microsoft (MSFT34)

Ainda na categoria de ações, os especialistas do BTG Pactual chamam atenção para as da Microsoft. Além de ser uma das principais empresas de tecnologia do mundo, ela também é proprietária do Linkedin, que conta com mais de 800 milhões de usuários e obteve um crescimento de 17% na receita líquida durante o terceiro trimestre do ano.

Os principais motivos para a escolha da companhia pelos analistas são:

  • Novo ciclo de crescimento focado em computação na nuvem e aplicações voltadas à inteligência artificial;
  • Foco nos acionistas: nos anos fiscais de 2020 e 2021, a Microsoft recomprou US$ 43 bilhões em ações e distribuiu US$ 32 bilhões em dividendos;
  • Balanço sólido, com uma posição de caixa líquido de US$ 30 bilhões;
  • Lançamento de aplicativos e soluções de realidade virtual;
  • Rentabilidade elevada com margem líquida e ROIC de ~35%.

Conteúdo gratuito: clique aqui e acesse o relatório de investimentos completo

5. LEGACY CAPITAL CREDIT

Para diversificar a carteira de investimentos, o BTG Pactual ainda cita o fundo de crédito privado da Legacy. Ele é voltado para investidores qualificados e dedicados a investir em emissões de dívidas locais ou estrangeiras. 

Além disso, “se baseia em forte análise da qualidade de crédito dos emissores, compromisso com liquidez e diversificação, constante observação do cenário macroeconômico, análise técnica e gestão ativa para localizar as melhores oportunidades nos mercados primário e secundário”.

No relatório, os profissionais do banco destacam o fato de a Legacy ter dado “um passo importante no seu crescimento no fim de 2021 com a criação de uma área de gestão de crédito privado, com o objetivo de articular ainda mais a sua expertise em atuar com variadas classes de ativos”.

6. CSHG Recebíveis Imobiliários FII (HGCR11)

Na classe de fundos imobiliários, os especialistas do BTG Pactual destacam o HGCR11, que tem como objetivo investir em Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs) e cotas de outros FIIs. 

Por conta da gestão da Credit Suisse, alocação em ativos com perfis de risco distinto, liquidez e estratégia de alocação mista com exposição a papéis indexados ao CDI e à inflação, os analistas acreditam que esse fundo seja uma boa opção para o investidor que “deseja a seguir recebendo dividendos atrativos diante do cenário de inflação e juros mais elevados”.

“Na nossa visão, o fundo oferece um portfólio balanceado em termos de estratégias (high grade e mid grade), indexadores (CDI e IPCA) e devedores, o que permite à gestão maior flexibilidade para alocar em diferentes operações”, afirma a equipe do banco.

Para conferir outras alternativas apontadas pelos especialistas do Maior Banco de Investimentos da América Latina, basta acessar a página oficial do banco e solicitar o envio para a caixa de e-mail. Para quem deseja proteger o patrimônio e ainda lucrar muito em 2023, o material possui conteúdos ricos.

QUERO BAIXAR O RELATÓRIO COMPLETO