Inteligência Artificial

TSMC ajusta preços e expande investimentos nos EUA para ampliar produção de chips

A maior fabricante de semicondutores do mundo enfrenta custos crescentes e aposta em novos investimentos para atender à demanda global

André Lopes
André Lopes

Repórter

Publicado em 18 de abril de 2024 às 11h18.

Última atualização em 18 de abril de 2024 às 11h18.

A Taiwan Semiconductor Manufacturing Company (TSMC), líder mundial na fabricação de chips, anunciou que irá aumentar os preços para produções realizadas fora de Taiwan. A decisão surge como resposta às expansões de capacidade global, aumento dos custos de energia e à complexidade das tecnologias de ponta, impactando a rentabilidade da empresa. Segundo CC Wei, CEO da TSMC, durante uma teleconferência sobre os resultados do primeiro trimestre, "se um cliente deseja estar em uma determinada área geográfica, ele precisa compartilhar o custo incremental".

Essa mudança de estratégia ocorre em um momento em que governos e empresas ao redor do mundo buscam mitigar riscos geopolíticos ao garantir fornecimentos adicionais de chips fora de Taiwan, país que hospeda mais de 90% da produção dos semicondutores mais avançados do mundo.

Recentemente, a TSMC revelou planos de elevar seu investimento nos Estados Unidos de 40 bilhões para 65 bilhões de dólares, em troca de 6,6 bilhões de dólares em subsídios. Com esse novo aporte, a empresa prevê iniciar a fabricação de chips de 2 nanômetros até 2028 e construir uma terceira planta de fabricação até o final da década.

No entanto, a produção fora de Taiwan apresenta custos significativamente mais elevados, e a TSMC costuma alocar capacidade para atender aos pedidos dos clientes com base em cálculos de eficiência.

Os aumentos de preço chegam em um momento desafiador para a TSMC, que prevê uma queda na rentabilidade este ano devido ao aumento dos custos de energia em sua principal base de fabricação em Taiwan, aos impactos do terremoto de 3 de abril e a uma elevação mais lenta na eficiência da fabricação de chips de 3nm, a tecnologia mais avançada em produção em massa.

Apesar dos desafios, a TSMC superou as expectativas de lucro líquido no primeiro trimestre com um aumento de 8,9% em relação ao mesmo período do ano anterior. A empresa também prevê um aumento de receita de 27,6% para cerca de 20 bilhões de dólares no segundo trimestre, impulsionada pela demanda crescente por chips de inteligência artificial, segmento no qual a empresa mantém uma perspectiva otimista.

A TSMC planeja manter seu orçamento de despesas de capital entre 28 bilhões e 32 bilhões de dólares para este ano, mantendo o nível de 2023, enquanto antecipa uma margem bruta entre 51% e 53% para o trimestre que termina em 30 de junho, apenas ligeiramente abaixo do primeiro trimestre, mas o menor nível desde o terceiro trimestre de 2021.

Acompanhe tudo sobre:Inteligência artificialTSMCChips

Mais de Inteligência Artificial

Professores gerados por IA estão dando aulas em uma universidade de Hong Kong

Profissionais de IA se mobilizam para salvar vidas na tragédia do Rio Grande do Sul

Inteligência artificial já engana humanos e isso é um problema, dizem especialistas

OpenAI pode lançar 'novo Google' na segunda-feira, 13

Mais na Exame