Inteligência Artificial

OpenAI responde Elon Musk em acusação de que abandonou proposta de ser sem fins lucrativos

Alegações de Musk sobre o desvio de princípios altruístas da OpenAI são contestadas em resposta judicial

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 20 de abril de 2024 às 15h10.

Última atualização em 20 de abril de 2024 às 15h12.

A OpenAI refutou as alegações de Elon Musk de que a organização teria abandonado seus princípios altruístas em favor da busca por lucros. A acusação de Musk é vista pela empresa como uma tentativa de revisão histórica para beneficiar sua própria companhia concorrente de inteligência artificial (IA).

Musk, que foi um dos primeiros financiadores da OpenAI, processou a empresa e seu CEO, Sam Altman, em março. Ele alega que a OpenAI violou sua promessa original de desenvolver uma inteligência artificial responsável ao firmar uma parceria com a Microsoft.

Os advogados da OpenAI, em um documento enviado ao tribunal pedindo a rejeição do processo, afirmaram que "anos atrás, o demandante Elon Musk abandonou a OpenAI quando sua tentativa de dominar a empresa fracassou. Agora, com o lançamento de sua própria empresa de inteligência artificial, Musk tenta aproveitar o sucesso alcançado pela OpenAI e dirigir os negócios da empresa para seu próprio benefício comercial."

 Musk vs. OpenAI: disputa judicial ganha novos contornos (Jaap Arrien/Getty Images)

Além disso, os advogados contestam a alegação de Musk de que a OpenAI havia prometido não monetizar sua tecnologia. Segundo eles, o CEO bilionário da Tesla e proprietário da X, anteriormente Twitter, não apresentou evidências de qualquer contrato que afirmasse o contrário.

Em sua queixa, Musk citou o certificado de incorporação da OpenAI, no qual a organização sem fins lucrativos prometia disponibilizar seu produto ao público. No entanto, os advogados da OpenAI esclarecem que o compromisso não era ilimitado.

"Em seu certificado de incorporação, a OpenAI, expressou a intenção de 'buscar disponibilizar a tecnologia em código aberto para o benefício público quando aplicável', reconhecendo desde o início que sua missão exigia 'uma conversa contínua sobre o que deveria ser disponibilizado em código aberto e o que não deveria'", conforme mencionado no documento.

Musk também criticou a OpenAI por entrar em uma parceria de vários bilhões de dólares com a Microsoft, seu principal financiador. No entanto, os advogados da OpenAI destacaram que Musk não identifica nenhuma cláusula do suposto 'Acordo Fundador' que proíba o licenciamento da tecnologia da OpenAI ou impeça um terceiro de ocupar um assento de observador no conselho.

Acompanhe tudo sobre:elon-muskInteligência artificialSam Altman

Mais de Inteligência Artificial

Microsoft apresenta Copilot+PC e inaugura Windows com IA

Quer viajar de graça na 1ª classe? Veja o truque secreto do ChatGPT para tentar um upgrade no voo

Bill Gates quer que você leia este livro sobre inteligência artificial

OpenAI quer revolucionar a forma como usamos os computadores

Mais na Exame