Inteligência Artificial

Investimento da Amazon na Anthropic eleva a gigante para uma posição privilegiada na corrida da IA

Com esta colaboração, o gigante do comércio online e da "nuvem" terá participação minoritária na Anthropic, que criou o Claude, um "chatbot" que concorre com o ChatGPT

Anthropic: fundada em 2021, é a criadora da IA chamada Claude (Rafael Henrique/Getty Images)

Anthropic: fundada em 2021, é a criadora da IA chamada Claude (Rafael Henrique/Getty Images)

André Lopes
André Lopes

Repórter

Publicado em 26 de setembro de 2023 às 14h15.

A Amazon anunciou na segunda-feira, 25, um investimento de US$ 4 bilhões na startup de inteligência artificial (IA) Anthropic. A movimentação ocorre em um cenário onde grandes empresas de tecnologia buscam se beneficiar de avanços em IA que podem transformar segmentos inteiros de seus negócios.

Para entender melhor a Anthropic, no momento, o melhor resumo é chama-la de uma concorrente direta do ChatGPT, da OpenAI.

Com seu chatbot Claude, além de oferecer uma interação um pouco mais amigável e doméstica, também busca ser um player mais responsável no setor.

Seus executivos são conhecidos por alertas públicos sobre os riscos da IA para a sociedade. Jack Clark, co-fundador da empresa, participou recentemente de uma reunião no Congresso dos EUA para debater políticas de IA, e pediu para que o governo americano aja diretamente por regulação.

No campo de batalha

Para a Amazon, a intenção é clara: acompanhar concorrentes como Microsoft e Google, que já destinaram bilhões para pesquisa e empresas de IA.

Anthropic, reconhecida como uma das starups de IA mais promissoras do momento, e funciona como um atalho direto para as fileiras mais disputadas do setor.

Do ponto de vista da Anthropic, agora a empresa pode contar com os data centers da Amazon, sua plataforma de computação em nuvem e chips de IA.

Mas junto disso, a parceria com a Anthropic beneficia a Amazon em sua competição com Microsoft e Google no segmento de computação em nuvem. Logo, é possível esperar que o LLMs da Anthropic ajudem clientes Amazon a criarem suas próprias IAs.

Somado a isso, a Amazon também ganha força no seu portfólio que compete com a Nvidia na oferta de chips para sistemas avançados de IA.

O cenário de IA no momento, apesar de dar impressão de que novos negócios estão liderando, é totalmente dependente da infraestrutura das big techs da última década e tem dificultado a independência de empresas menores.

Por isso mesmo, Anthropic reinvestirá parte dos recursos obtidos da Amazon em serviços de computação em nuvem da própria gigante de Seattle, que representa mais de 70% de seus lucros.

Modelos semelhantes foram adotados por Microsoft com a OpenAI em 2019 e por outras empresas como Google e Oracle em suas investidas.

Acompanhe tudo sobre:AmazonVenture capitalStartupsInteligência artificial

Mais de Inteligência Artificial

Dados de crianças brasileiras são usados em treinamento de IA sem consentimento, revela relatório

Nova lei na Califórnia quer "botão de desligar" da IA e gera oposição das empresas de tecnologia

IA da Domino's prevê pedidos de pizza antes de serem feitos

Adobe atualiza termos de uso e sugere usar artes feitas por usuários para treinar IAs

Mais na Exame