Instagram lança ferramenta que agrega fotos de usuários aos e-commerces

O recurso 'conteúdo da comunidade' permite que lojas adicionem na galeria de produtos as fotos e vídeos feitos por consumidores e influenciadores
O Instagram tem investido em ferramentas para facilitar a vida de quem tem e-commerce (NurPhoto/Getty Images)
O Instagram tem investido em ferramentas para facilitar a vida de quem tem e-commerce (NurPhoto/Getty Images)
A
André Lopes

Publicado em 06/05/2021 às 15:13.

Última atualização em 07/05/2021 às 18:22.

A mais recente atualização do Instagram disponibilizou para marcas e consumidores a possibilidade de trazer imagens e vídeos de produtos sendo utilizados pelos usuários em influenciadores para dentro da aba de 'shopping' da rede social.

Chamado de 'conteúdo da comunidade', o novo recurso visa ajudar clientes a verem os produtos para além das fotos produzidas pelos próprios vendedores. Servindo quase como a área de avaliação, encontrada em vários e-commerces, mas visual.

"Vejo que esse recurso vai possibilitar aos compradores tirarem dúvidas vendo o que quem já comprou achou, e vai auxiliar as marcas a construírem um relacionamento ainda mais personalizado com os seus consumidores e também com criadores de conteúdo parceiros", afirma Adriana Grineberg, diretora de operações do Instagram da América Latina.

Como funciona o 'conteúdo da comunidade' no Instagram? 

Uma empresa agora pode adicionar uma foto feita por terceiros, aglomerando ela junto de outras na página de um produto, ao marcar essa opção com a ferramenta Shopping. Para adicionar este conteúdo, a marca deve solicitar e receber permissão de quem fez o registro. Assim, o conteúdo ficará disponível em uma seção chamada “Da comunidade”.


(Print/Reprodução)

"Um exemplo de uso dessa função é entender se a peça tem um bom caimento no corpo quando falamos de roupas, se um produto é adequado para diferentes tons de pele, e até servir de inspiração com formas diferentes de usar", diz Adriana.

Do lado dos influenciadores, que já costumam taggear marcas no que postam na rede, a nova ferramenta oferece uma forma de estreitar o relacionamento com as lojas que eles mais amam, conseguindo responder às solicitações de uma forma mais fácil e ter controle sobre como seu conteúdo é usado. 

Foco no marketplace

Em julho do ano passado, a rede social estendeu a venda de produtos e serviços a qualquer loja virtual ou criador de conteúdo na rede – como influenciadores, por exemplo. Com isso, as marcas passaram a usar o Instagram como uma vitrine, expondo entre o stories, feed e IGTV os preços de seus produtos, e a partir dali redirecionar os seguidores para sites de fora do Instagram. Com atualização mais recente, a que agrega o conteúdo da comunidade, a rede social social mostra para qual caminho está seguindo.

Como o leilão do 5G afeta a bolsa? Entenda assinando a EXAME.