Mercado Livre impulsiona empreendedores que focam na biodiversidade brasileira

Nova campanha Biomas a um Clique vai reunir cerca de 800 itens sustentáveis feitos por empreendedores que contribuem para a valorização e a preservação de quatro biomas brasileiros: Amazônia, Caatinga, Cerrado e Mata Atlântica
 (Mercado Livre/André Porto/Divulgação)
(Mercado Livre/André Porto/Divulgação)
M
Marina FilippePublicado em 03/09/2022 às 08:00.

Ao longo do mês de setembro, o Mercado Livre realiza uma campanha para promover produtos da biodiversidade brasileira. Com o mote Biomas a um Clique, esta edição vai reunir cerca de 800 itens sustentáveis feitos por empreendimentos que contribuem para a valorização e a preservação de quatro biomas brasileiros: Amazônia, Caatinga, Cerrado e Mata Atlântica.

Em parceria com diversas organizações, a plataforma quer conectar consumidores com  empreendedores da sociobiodiversidade, facilitando a compra online de produtos que geram renda para populações locais ao mesmo tempo em que preservam os biomas onde estão inseridas. Nesta edição, mais de 80 marcas poderão ser encontradas na página criada exclusivamente para a  campanha, que reúne itens de gastronomia, moda, artesanato, dentre outros.

Este é o terceiro ano consecutivo em que organizações da sociobiodiversidade se unem ao Mercado Livre para promover a comercialização desses produtos no mês em que se comemoram os Dias da Amazônia e do Cerrado. Um dos principais parceiros da  iniciativa é o Programa Amazônia em Casa Floresta em Pé, cujos empreendimentos estão na plataforma do Mercado Livre, além do Idesam, AMAZ, Climate Ventures e Plataforma Parceiros pela Amazônia, Conexsus, Instituto Auá e Central do Cerrado.

A companha contribui com a intenção do Mercado Livre de democratizar o comércio eletrônico e integra parte relevante da estratégia de sustentabilidade da companhia, que busca apoiar a inclusão digital de empreendedores de impacto positivo e fomentar iniciativas empreendedoras de conservação e regeneração.

“Ao fortalecer a estratégia comercial e dar visibilidade para esses negócios, contribuímos para a geração de renda e para a conservação da sociobiodiversidade destes biomas”, diz Laura Motta, gerente sênior de Sustentabilidade do Mercado Livre. “Queremos combinar os saberes da floresta, que geram riqueza e proteção ambiental, com o conhecimento do Mercado Livre em comercialização e logística para impulsionar os impactos positivos desses empreendedores muitas vezes desconhecidos por grande parte dos brasileiros”, completa.

Digitalização

Desde 2020, por meio do programa Empreender com Impacto + Biomas, o Mercado Livre impulsiona negócios da sociobiodiversidade, para que possam acessar mercados e ampliar os benefícios que geram nas comunidades onde atuam. Neste ano, a plataforma abriu 30 novas vagas para este programa, que impulsiona empreendimentos e, consequentemente, a conservação de quatro biomas brasileiros: Amazônia, Caatinga, Cerrado e Mata Atlântica. Ao todo, mais de 100 empreendimentos já passaram pela trilha de capacitação sobre vendas, estratégia comercial, logística e marketing digital. Além disso, essas marcas recebem mentorias individuais da Consultoria Giral, mentorias coletivas com especialistas da plataforma, visibilidade na seção de produtos sustentáveis e outros benefícios do ecossistema do Mercado Livre.

“Com o crescimento do comércio eletrônico, a inclusão digital se tornou extremamente relevante e necessária para garantir a geração de renda para os empreendedores. Ao entender que a comercialização e a logística eram um gargalo, o Mercado Livre colocou seu ecossistema a serviço desses empreendimentos, se tornando um importante aliado para a digitalização dos negócios e para garantir preço e prazo de entrega competitivos”, diz Laura.

Somente no ano passado, 90 empreendimentos foram beneficiados: 49 deles estavam situados na Amazônia, 18 no Cerrado e 23 na Mata Atlântica, se concentrando, principalmente, nas categorias de alimentos e bebidas, artesanato e cosméticos. Além disso, mais de 50% dos líderes desses negócios são negros, cerca de 12% são indígenas e mais da metade são mulheres. A iniciativa já está sendo replicada na Argentina e México, em parceria com a Fundação Avina.

Empreendedores de impacto

Dentre 80 os empreendimentos participantes da campanha deste ano estão Luisa Abrahm, Jambuzeira, Café Apuí Agroflorestal e Deveras, da Amazônia; além da Central do Cerrado, Bioporã, Sitio Boca do Mato, do Cerrado e Caatinga; e Lavigne, Frescor da Mantiqueira e Cerâmicas Baluarte, esses da Mata Atlântica.

“Programas como Amazônia em Casa e Empreender com Impacto ajudam empreendimentos a entender e a acessar mercado, fortalecendo as duas pontas dessa cadeia produtiva”, diz Floriana Breyer, coordenadora do programa Amazônia em Casa Floresta em Pé, incubado pela Climate Ventures,  Idesam e AMAZ. “Ao dar visibilidade e oferecer soluções logísticas, estamos ainda estruturando a demanda e gerando vendas, impactando diretamente a base produtiva. Valorizar os bioativos e saberes locais ajuda a manter a floresta em pé e a evitar atividades predatórias como o desmatamento”, completa.

Mariano Cenamo, CEO da AMAZ e diretor de Novos Negócios do Idesam, comenta ainda que “o Programa Amazônia em Casa Floresta em Pé e o Mercado Livre, desde 2020, lideram esforços para a abertura de novos mercados aos negócios da Amazônia, diante de desafios de logística e acesso a mercados peculiares da região. E essa movimentação agora se estende a outros biomas por parte do Mercado Livre”.