Transações com iuane digital superam as da Visa nas Olimpíadas de Inverno

A moeda digital chinesa oferece a praticidade necessária em tempos pandêmicos e já é aceita por muitos comerciantes do país, superando as transações em cartões Visa nos Jogos Olímpicos de Inverno
A Visa tinha um contrato de exclusividade com o Comitê organizador dos Jogos (Eliza Gkritsi/Coindesk/Reprodução)
A Visa tinha um contrato de exclusividade com o Comitê organizador dos Jogos (Eliza Gkritsi/Coindesk/Reprodução)
Por Cointelegraph BrasilPublicado em 11/02/2022 11:37 | Última atualização em 11/02/2022 11:52Tempo de Leitura: 4 min de leitura

No dia da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim 2022, houve mais transações feitas na moeda digital do banco central da China do que através da Visa.

Em uma reportagem de quarta-feira, 9, do Wall Street Journal, uma pessoa familiarizada com o assunto disse que as transações em iuane digital superaram significativamente as da Visa em 4 de fevereiro no Estádio Nacional de Pequim, também conhecido como Ninho do Pássaro — o local da cerimônia de abertura dos 34º Jogos Olímpicos de Inverno. No entanto, muitos dos varejistas que permitem compras com a moeda digital emitida pelo banco central da China, o iuane digital — ou e-CNY — estavam fora da “bolha” de quarentena da Olimpíada para atletas, jornalistas e funcionários.

"O Ninho do Pássaro na noite de 4 de fevereiro, quando foi realizada a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim 2022", publicou um perfil no Twitter.

De acordo com a reportagem, aqueles que estão dentro da bolha têm a opção de pagar por bens ou serviços com dinheiro, cartões Visa e iuane digital, e existem muitas máquinas automatizadas que permitem que as pessoas troquem moeda fiduciária por e-CNY. Além da provável intenção de reduzir o contato entre indivíduos em um esforço para impedir a propagação do covid-19, parece que a moeda digital do país está superando a Visa — pelo menos em um ambiente com casos de uso limitados que incluem a participação de consumidores chineses.

“Substituir dinheiro por iuane digital para pagamento pode reduzir efetivamente o contato direto entre as pessoas e o risco de propagação da covid-19”, disse o Comitê Organizador de Pequim para os Jogos de 2022.

Embora os pagamentos usando aplicativos móveis como Alipay, WeChat Pay e outros sejam geralmente aceitos por muitos varejistas na China, esses métodos não são permitidos nos Jogos de Inverno devido a um contrato de exclusividade com a Visa. A empresa de cartão de crédito não recuou contra as opções de pagamento em yuan digital, possivelmente porque está aguardando a aprovação de um pedido de licença doméstica para operar na China.

A CNN informou em 31 de janeiro que o primeiro teste internacional da moeda digital emitida pelo banco central (CBDC) da China está enfrentando obstáculos devido à pandemia, com autoridades limitando o número de pessoas autorizadas a entrar no país. Embora a China não tenha divulgado dados sobre o número de transações digitais de iuanes ou atletas usando a CBDC, os legisladores dos EUA alertaram os americanos que participam dos jogos sobre os perigos potenciais de testar a moeda digital, incluindo ameaçar os interesses dos EUA em pagamentos internacionais.

No momento, não existem relatos de atletas alegando ter usado o iuane digital para comida ou outros itens essenciais. O Wall Street Journal informou que tanto o presidente do Comitê Olímpico Holandês quanto um ex-residente de Pequim agora envolvido na cobertura televisiva dos jogos sugeriram que não havia sentido em usar a moeda digital quando a Visa estava disponível. Os Jogos Olímpicos de Inverno estão programados para terminar em 20 de fevereiro.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok