Future of Money

Standard Chartered alerta que preço do bitcoin pode cair para US$ 50 mil

Banco britânico avalia que combinação de cenário macroeconômico e dinâmicas próprias do mundo cripto está prejudicando ativo

Bitcoin voltou a cair com piora de quadro macroeconômico (reprodução/Reprodução)

Bitcoin voltou a cair com piora de quadro macroeconômico (reprodução/Reprodução)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 3 de maio de 2024 às 12h09.

Última atualização em 3 de maio de 2024 às 13h51.

O banco britânico Standard Chartered alertou na última quarta-feira, 1º, que o preço do bitcoin pode continuar em queda até se aproximar dos US$ 50 mil. Atualmente, a maior criptomoeda do mercado está cotada em US$ 61 mil, distante dos recordes de preço firmados nos últimos meses.

Em um relatório, analistas do banco destacaram que essa trajetória de preço se tornou mais provável após o ativo operar abaixo dos US$ 60 mil pela primeira vez em dois meses. A queda "reabriu um caminho para uma faixa de preço entre US$ 50 mil e US$ 52 mil", afirmam.

Para o Standard Chartered, a queda atual do bitcoin ocorre por uma combinação de piora no quadro macroeconômico global com eventos específicos do mercado de criptomoedas. Um desses eventos foi a sequência de cinco dias de perdas de investimento nos ETFs da criptomoeda nos EUA.

Ao mesmo tempo, os analistas citaram um "lançamento ruim" dos ETFs de bitcoin e ether em Hong Kong, apesar do resultado no primeiro dia ter sido revisado por analistas depois da publicação do relatório do Standard Chartered, com um valor movimento acima do esperado.

Há, ainda, os efeitos de um quadro macroeconômico mais preocupante para os investidores, após o Federal Reserve sinalizar que cortes na taxa de juros do país não deverão ocorrer nas reuniões de julho e setembro deste ano, afetando o otimismo de investidores.

A posição do Fed e temores sobre a situação da economia norte-americana aumentaram a aversão a riscos, prejudicando principalmente ativos mais voláteis, caso do bitcoin. Os analistas acreditam que o cenário atual cria um "risco de liquidação" por parte dos investidores, conformem muitos começam a operar no prejuízo.

"É claro que a liquidez é importante apenas em alguns momentos, mas com um cenário de fortes dados de inflação nos Estados Unidos e menor probabilidade de cortes nas taxas do Fed, ela é importante no momento", destacaram os analistas do banco.

O relatório do Standard Chartered indica que a divulgação dos dados de inflação dos Estados Unidos no dia 15 de maio deverá ser essencial para o futuro do preço do bitcoin, com a criptomoeda podendo recuperar parte do valor perdido caso os dados sejam "mais amigáveis".

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | TikTok

Acompanhe tudo sobre:BitcoinCriptomoedasCriptoativos

Mais de Future of Money

'CEO mais odiado dos EUA' é descoberto como criador de falsa criptomoeda 'oficial' de Donald Trump

Vale do Silício: lugar certo para acelerar ideias e projetos; veja as oportunidades para startups

Grandes investidores vendem R$ 6 bilhões em bitcoin em 2 semanas

Empresa compra R$ 4,2 bilhões em bitcoin e expande investimentos na criptomoeda

Mais na Exame