Future of Money

Opositor de Putin vai usar blockchain para fazer referendo sobre presidente da Rússia

Exilado, um dos líderes da oposição ao governo russo questiona a legitimidade da reeleição de Vladimir Putin

Vladimir Putin é o atual presidente da Rússia (NATALIA KOLESNIKOVA/AFP)

Vladimir Putin é o atual presidente da Rússia (NATALIA KOLESNIKOVA/AFP)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 10 de maio de 2024 às 15h17.

Última atualização em 10 de maio de 2024 às 15h28.

Um dos líderes da oposição ao presidente Vladimir Putin anunciou nesta sexta-feira, 10, que vai usar a tecnologia blockchain para criar um referendo sobre a legitimidade da reeleição do político para mais um mandato no comando da Rússia, buscando garantir a segurança de críticos ao governo.

A iniciativa foi idealizada por Mark Feygin, que atualmente vive exilado após ser perseguido pelo governo da Rússia. A ideia surgiu após uma vitória de Putin na eleição para presidente deste ano. O político obteve 87% dos votos e deve chegar a 24 anos no poder ao final do seu novo mandato.

As eleições, porém, foram alvo de críticas de organizações internacionais, grupos de oposição locais e outros países, que apontaram uma série de irregularidades e sinais de fraude no pleito. A ideia de Feygin é usar o blockchain para realizar uma consulta junto à população.

O projeto não tem nenhuma força legal na Rússia e não deverá ter um impacto prático imediato para Putin, mas a ideia do opositor é chamar a atenção do público para a questão e incentivar o apoio aos grupos de oposição ao presidente russo. Ao mesmo tempo, o referendo busca dar voz à população do país.

O voto ocorrerá por meio do aplicativo Russia2024, que foi criado a partir de uma ferramenta que tem como base o blockchain Arbitrum. A ferramenta permite que usuários sejam autenticados mas não tenham suas identidades rastreáveis por agentes externos, garantindo o anonimato.

  • Uma nova era da economia digital está acontecendo bem diante dos seus olhos. Não perca tempo nem fique para trás: abra sua conta na Mynt e invista com o apoio de especialistas e com curadoria dos melhores criptoativos para você investir.  

Em um comunicado sobre o referendo, Feygin explicou que "é fundamental que proporcionemos vias confiáveis ​​e à prova de vigilância para protestos e eleições. O Russia2024 e a sua tecnologia subjacente permitem isso".

O critério para a participação no referendo será a posse de um passaporte russo válido. As estimativas são de que 34,6 milhões de russos possuem passaportes atualmente. O aplicativo vai escanear os passaportes, mas os dados não serão armazenados ou divulgados posteriormente, segundo os organizadores da iniciativa.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | TikTok

Acompanhe tudo sobre:RússiaVladimir PutinBlockchain

Mais de Future of Money

Quatro criptomoedas com 'narrativas explosivas' para estudar agora

Lei de Inovação Financeira e Tecnologia para o Século 21: o que é e quais os impactos?

A revolução dos ativos digitais: uma análise das recentes mudanças no mercado de criptomoedas

Gigantes de Wall Street "financiam a poluição do bitcoin", diz Greenpeace

Mais na Exame