Future of Money

"Nunca pensei que o que estava fazendo era ilegal", diz ex-CEO da FTX após condenação

Sam Bankman-Fried foi condenado a 25 anos de prisão após ser considerado culpado de crimes de fraude que levaram à falência da corretora

Sam Bankman-Fried é o ex-CEO da corretora FTX (Bloomberg/Getty Images)

Sam Bankman-Fried é o ex-CEO da corretora FTX (Bloomberg/Getty Images)

Cointelegraph
Cointelegraph

Agência de notícias

Publicado em 2 de abril de 2024 às 14h00.

Sam Bankman-Fried, ex-CEO e fundador da FTX, falou pela primeira vez sobre a falência da corretora de criptomoedas após ser condenado a 25 anos de prisão nos Estados Unidos. Assim como em outras entrevistas, o executivo negou que tenha cometido crimes no caso, mesmo tendo sido considerado culpado por fraude.

Bankman-Fried respondeu por e-mail a perguntas feitas pelo canal de televisão ABC News. Ele está detido deste agosto de 2023 no Centro de Detenção Metropolitano do Brooklyn, em Nova York. Na última quinta-feira, 28, o juiz Lewis Kaplan sentenciou o ex-CEO da FTX a 25 anos de prisão após sua condenação por sete acusações criminais.

  • O JEITO FÁCIL E SEGURO DE INVESTIR EM CRYPTO. Na Mynt você negocia em poucos cliques e com a segurança de uma empresa BTG Pactual. Compre as maiores cryptos do mundo em minutos direto pelo app. Clique aqui para abrir sua conta gratuita.

"Eu nunca pensei que o que estava fazendo fosse ilegal", disse Sam Bankman-Fried na entrevista. "Eu sou assombrado, todos os dias, pelo que foi perdido. Nunca tive a intenção de prejudicar alguém ou pegar o dinheiro de alguém".

Em suas respostas, Bankman-Fried buscou evitar a responsabilidade pelo colapso da corretora de criptomoedas em novembro de 2022, afirmando que tomou "decisões ruins", mas não agiu de forma "altruísta ou egoísta". Antes da sentença, o executivo compartilhou afirmações semelhantes e disse ainda que a exchange "teria sobrevivido" e os clientes seriam reembolsados se tivesse tido a chance de concluir seu plano para evitar a falência.

As declarações à ABC podem ser uma das últimas feitas por Sam Bankman-Fried antes de ser transferido para uma prisão federal. O juiz responsável pelo caso recomendou que o ex-CEO cumpra o restante de sua pena em uma prisão de segurança média ou baixa na área da Baía de São Francisco, na Califórnia.

Especialistas jurídicos sugeriram que o ex-CEO poderia reduzir anos de sua sentença por bom comportamento, mas não há liberdade condicional no sistema prisional federal. Os advogados de Bankman-Fried afirmaram em 28 de março que pretendiam recorrer da sentença. Nenhuma apelação foi protocolada até o momento.

Bankman-Fried é acusado de ter liderado as operações da FTX que resultaram na falência surpreendente da corretora em novembro de 2022 e geraram um prejuízo de mais de US$ 8 bilhões (R$ 40 bilhões) para os clientes. Na época, a exchange era a segunda maior do mercado e o então CEO tinha uma fortuna bilionária.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | TikTok

Acompanhe tudo sobre:CriptomoedasCriptoativos

Mais de Future of Money

Análise: após o halving, tendência primária do bitcoin ainda é de alta

Blockchain vai ajudar a chegar em inteligência artificial geral, diz cientista da SingularityNET

Demanda pelo bitcoin após o halving será 5 vezes maior que a oferta, projeta corretora

Usuário perde mais de R$ 1 milhão após erro em transferência de criptomoedas

Mais na Exame