NFTs da UNICEF arrecadam R$ 3,6 milhões para conectar escolas à internet em países subdesenvolvidos

A popularidade dos NFTs criados por joint venture do UNICEF com a União Internacional de Telecomunicações impulsiona experimentos de angariação de fundos para conectar mais escolas ao redor do mundo à internet
Projeto arrecadou US$ 700 mil (Noel Celis/AFP)
Projeto arrecadou US$ 700 mil (Noel Celis/AFP)
C
Cointelegraph BrasilPublicado em 23/09/2022 às 10:38.

Os países desenvolvidos geralmente dão como certa a onipresença da internet. Mas a realidade é que cerca de 2,9 bilhões de pessoas ainda não têm conectividade com a internet.

Dados fornecidos pelo UNICEF destacam que a maioria dessa massa de pessoas sem internet reside em países subdesenvolvidos, e as crianças continuam sendo prejudicadas pela falta de conectividade com a internet nas escolas locais.

Uma iniciativa liderada pelo UNICEF está enfrentando esse dilema de uma maneira inovadora por meio de uma joint venture com a União Internacional de Telecomunicações, que levou à criação do Giga em 2019.

Gerben Kijne, gerente de produto blockchain do Giga, delineou a iniciativa Project Connect da empresa na Blockchain Expo em Amsterdã. O Giga avançou na conexão de escolas à internet em países em desenvolvimento ao redor do mundo.

(Mynt/Divulgação)

A primeira etapa desse processo foi mapear as escolas e sua conectividade por meio do Project Connect. Giga usa aprendizado de máquina para escanear imagens de satélite para identificar escolas em um mapa de código aberto. Até o momento, identificou mais de 1,1 milhão de escolas em 49 países e dados de conectividade para um terço dessas escolas.

Tendo identificado um grande número de escolas que precisam de acessibilidade à Internet, o próximo passo no processo foi criar uma nova iniciativa de angariação de fundos que aproveitou o mundo da blockchain, criptomoedas e tokens não-fungíveis (NFTs).

Falando ao Cointelegraph após seu discurso de abertura no Centro de Convenções RAI em Amsterdã, Kijne desvendou a iniciativa Patchwork Kingdoms do Giga. Com os NFTs crescendo em popularidade nos últimos dois anos, o Giga procurou aproveitar ao máximo a mania por meio de seu próprio experimento de arrecadação de fundos liderado por NFT em março de 2022.

O Giga se uniu à artista holandesa Nadieh Bremer para lançar uma coleção de 1.000 NFTs geradas processualmente cunhadas na blockchain Ethereum. Os NFTs foram produzidos usando os dados escolares do Giga para representar aqueles com e sem conectividade com a internet.

A venda pública da NFT levantou cerca de 240 Ether (ETH) no total, avaliados em US$ 700.000, que foram diretamente para conectar escolas à Internet. Kijne admitiu que o valor arrecadado era secundário à exploração de um tipo diferente de captação de recursos filantrópicos.

“Acho que os NFTs também fornecem um caso de uso realmente interessante. Uma das coisas que estamos começando a investigar é como será a filantropia para a próxima geração de pessoas? Porque se você for ao UNICEF agora e doar, eu nem sei o que você recebe, provavelmente um ‘e-mail de agradecimento’ ou algo assim.”

Kijne acredita que os NFTs podem fornecer uma conexão mais próxima às doações, destacando seu uso para rastrear o impacto das doações por meio da propriedade do NFT de uma escola específica e monitorar quando os fundos arrecadados são "descontados" para pagar pela conectividade com a Internet.

Muitos aprendizados foram retirados da iniciativa de arrecadação de fundos baseada em NFT. Como Kijne refletiu, construir uma comunidade antes do lançamento pode ter ajudado a aumentar o apoio. Como foi visto no espaço NFT, os membros da comunidade desempenham um papel, mas os investidores NFT oportunistas estão sempre presentes e procurando uma chance de lucrar com novos lançamentos.

“Acho que algumas pessoas que se juntaram a nós formaram um dos dois campos. Temos as pessoas que queríamos, apoiadores do Giga. Muitos compraram seu primeiro NFT. Então o outro grupo é de pessoas que estão pensando: ‘Ah, uma NFT do UNICEF! Deixe-me entrar nisso.'”

Apesar desse fato, o projeto foi considerado um sucesso e fornece um caso de uso intrigante para NFTs baseados em blockchain como meio de angariação de fundos transparente e de construção da comunidade. A venda pública em março de 2022 esgotou em três horas e arrecadou US$ 550.000. Os 20% adicionais dos fundos arrecadados vieram de vendas secundárias no OpenSea.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok