Future of Money

Governo dos EUA defende pena de 3 anos de prisão para fundador da Binance

Changpeng Zhao precisou deixar cargo de CEO da corretora de criptomoedas como parte de um acordo com o país após violação de leis

Changpeng Zhao deixou comando da Binance em 2023 (Bloomberg/Getty Images)

Changpeng Zhao deixou comando da Binance em 2023 (Bloomberg/Getty Images)

João Pedro Malar
João Pedro Malar

Repórter do Future of Money

Publicado em 24 de abril de 2024 às 11h14.

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos solicitou nesta quarta-feira, 24, que Changpeng Zhao seja condenado a uma pena de três anos de prisão no país. Zhao é fundador da Binance, maior corretora de criptomoedas do mundo, mas precisou deixar o cargo de CEO da exchange após um acordo entre os Estados Unidos e a empresa.

De acordo com o governo dos EUA, Zhao teria permitido que a corretora violasse leis de prevenção à lavagem de dinheiro e facilitado a violação de sanções federais a diferentes indivíduos, empresas e países. Já a defesa do executivo alega que ele não deveria ficar na prisão porque ele pagou uma multa milionária, sugerindo uma pena de prisão domiciliar.

O próprio Zhao se declarou culpado das acusações feitas pelas autoridades dos Estados Unidos, também como parte do acordo firmado com a Binance em 2023. Desde então, ele está proibido de deixar o país e aguarda a definição da sua pena, que deverá ser divulgada em breve.

"Zhao colheu vastas recompensas por sua violação das leis dos EUA, e o preço dessa violação deve ser significativo para punir efetivamente Zhao por seus atos criminosos e para dissuadir outros que são tentados a construir fortunas e impérios comerciais violando a lei", afirma o Departamento de Justiça.

As autoridades dizem ainda que "o escopo e as ramificações da má conduta de Zhao foram enormes", o que justificaria a pena elevada para esse tipo de crime. Também nesta quarta-feira, Zhao divulgou uma carta em que pede desculpas pelas suas ações, citando "decisões ruins" na época em que comandou a Binance.

Pelo acordo anunciado em novembro de 2023, a Binance admitiu as violações às leis dos Estados Unidos, se comprometeu a mudar processos e ainda pagou uma multa de US$ 10 bilhões. Já Zhao precisou renunciar ao cargo de CEO, sendo substituído por Richard Teng.

“Hoje, deixei o cargo de CEO da Binance. É certo que não foi fácil desapegar-se emocionalmente. Mas sei que é a coisa certa a fazer. Cometi erros e devo assumir a responsabilidade. Isso é melhor para nossa comunidade, para a Binance e para mim. A Binance não é mais um bebê. É hora de deixá-la andar e correr. Eu sei que a Binance continuará a crescer e se destacar”, disse ele à época.

A Binance foi investigada pelas autoridades norte-americanas por crimes envolvendo lavagem de dinheiro, fraude bancária e violações de leis de sanção aplicadas pelos Estados Unidos contra entidades e países.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | TikTok

Acompanhe tudo sobre:CriptomoedasEstados Unidos (EUA)

Mais de Future of Money

Bitcoin só voltará a disparar após eleições nos EUA, diz CEO de gestora de R$ 40 bilhões

Criptomoeda ligada ao Telegram estreia no mercado com disparada de 4.650% e alta volatilidade

IA e blockchain: a união do futuro? Apostando no setor, BTG disponibiliza duas novas criptos na Mynt

Morgan Stanley revela investimento de mais de R$ 1 bilhão em ETFs de bitcoin

Mais na Exame