Future of Money

Brasil pode alcançar 3ª maior adoção mundial de criptomoedas em 2023

Pesquisa realizada pela HedgewithCrypto destacou pontos como interesse crescente de brasileiros e adoção de legislação sobre o tema

Austrália deve alcançar em 2023 a maior adoção mundial de criptomoedas (Reprodução/Reprodução)

Austrália deve alcançar em 2023 a maior adoção mundial de criptomoedas (Reprodução/Reprodução)

Cointelegraph
Cointelegraph

Agência de notícias

Publicado em 10 de março de 2023 às 11h09.

Uma pesquisa realizada pela plataforma de inteligência de mercado HedgewithCrypto apontou que o Brasil pode fechar 2023 como um dos três maiores países do mundo em adoção de criptomoedas, superando inclusive El Salvador, nação que tornou o bitcoin uma moeda de curso legal em 2021.

O estudo analisou fatores como a porcentagem da população que está adotando cripto, o número de caixas eletrônicos de criptomoedas em operação, a legislação e a popularidade online das criptomoedas em cada país para revelar qual nação teve a maior adoção nos últimos três anos e como estas nações devem fechar 2023.

Segundo a pesquisa, a Austrália é o país mais preparado para a adoção de criptomoedas neste ano, com uma pontuação de 7,37 em 10. A porcentagem da população australiana que adotou criptomoedas mais que dobrou desde 2020, passando de 8% para 18%.

Segundo os pesquisadores, os australianos demonstraram um interesse crescente no mercado cripto, com um aumento de 196% nas pesquisas sobre o tema no Google desde 2020. A venda de criptomoedas e outros ativos digitais é legal e regulamentada na Austrália.

Os Estados Unidos classificam-se como o segundo país mais pronto para a adoção de criptomoedas pela população, com uma pontuação de 7,07 em 10. Os EUA aumentaram seus caixas eletrônicos que permitem saques em criptoativos em 403% desde 2020, e agora existem 33.630 unidades do tipo em todo o país.

"Os EUA lideram de longe o custo da infraestrutura, com mais de 30.000 caixas eletrônicos a mais do que qualquer outro país, e também tiveram um aumento de 166% nas pesquisas de cripto no Google desde 2020" destacou o relatório da pesquisa.

Em terceiro lugar está o Brasil, com uma pontuação de 6,81 em 10. O país registrou um grande aumento na média mensal de pesquisas por criptoativos, de 355%, mostrando um aumento no interesse pelo tema. O Brasil também tinha 0 caixas eletrônicos em 2020 e desde então abriu 25. "Além disso em 2023 um decreto deve ser editando estabelecendo as diretrizes para o mercado de criptoativos no país", ressaltou a pesquisa.

A Turquia tem o segundo maior aumento de caixas eletrônicos de 1.300%, passando de apenas 1 caixa eletrônico em 2020 para 14 em 2022. A Austrália tinha 19 caixas eletrônicos em 2020. Desde então, o número aumentou para 221, um crescimento geral de 1.163%.

O estudo também revelou que Singapura foi o país que registrou o maior interesse em criptomoedas. Existem 540 pesquisas relacionadas ao tema todos os meses para cada 100.000 pessoas no país, a mais alta taxa no mundo. Singapura é seguida pela Holanda, que registra 327 pesquisas mensais a cada 100 mil pessoas, e pela Austrália, que registra 312.

Sabia que você pode investir em Bitcoin, ether, Polkadot e muitas outras moedas digitais direto no app da Mynt? Comece com R$ 100 e com a segurança de uma empresa BTG Pactual. Clique aqui para abrir sua conta gratuitamente.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | TikTok

Acompanhe tudo sobre:CriptomoedasCriptoativosBrasil

Mais de Future of Money

Solana despenca com rumores e temor sobre futuro de criptomoedas meme

Bitcoin despenca para US$ 61 mil: ainda há esperanças de nova alta em 2024? Especialistas respondem

Corretora falida Mt. Gox faz bitcoin cair após revelar data para pagamentos de clientes

Mineração de bitcoin está aquecendo uma cidade inteira na Finlândia

Mais na Exame