Bitcoin se recupera após banimento na China e hashrate atinge novo recorde

Poder computacional da rede Bitcoin atinge maior valor em sua história e demonstra que o blockchain da principal criptomoeda do mundo está mais seguro do que nunca
Taxas de hash mais altas significam uma rede mais forte e segura (Getty Images/NurPhoto)
Taxas de hash mais altas significam uma rede mais forte e segura (Getty Images/NurPhoto)
Por CoindeskPublicado em 03/01/2022 12:39 | Última atualização em 03/01/2022 12:39Tempo de Leitura: 3 min de leitura

A hashrate da rede Bitcoin bateu um novo recorde na noite de domingo, 2, após ultrapassar as máximas anteriores de meados de 2021, segundo dados da Glassnode.

A hashrate se refere à quantidade de poder computacional usado por mineradores dedicados à emissão de novos bitcoins e verificação de novas transações na rede Bitcoin. Milhões de cálculos são resolvidos a cada segundo para "ganhar" novos blocos, em um processo amplamente chamado de mineração.

Hashrates mais altos significam uma rede mais forte e segura, tornando difícil para um grupo de invasores executar o famoso “ataque dos 51%” e obter o controle da rede.

Contudo, a manutenção desse maquinário intensivo é cara e requer alto conhecimento técnico - o que historicamente fez com que mineradores se instalassem em regiões do interior da China, onde a mão de obra é acessível e as condições climáticas são propícias.

O governo chinês, no entanto, não é um grande apoiador dos criptoativos. A repressão aos mineradores locais e empresas de mineração no ano passado fez com que a hashrate da rede Bitcoin despencasse para o patamar de 61 exahashes por segundo em junho de 2021, saindo de mais de 190 exahashes por segundo em abril do mesmo ano.

Os dados da época estimavam que mais de 46% da capacidade de computação do blockchain do Bitcoin era fornecida por mineradores chineses. Desde então, a proibição levou a um êxodo de mineradores chineses para outras regiões, como Cazaquistão, Irã e EUA.

Mas o preço do bitcoin se recuperou e a sua rede também não demorou muito para fazer o mesmo: os dados da Glassnode mostram que a hashrate aumentou para 201 exahashes no último sábado, 1, ultrapassando os níveis de abril de 2021.

Alguns engenheiros dizem que a recuperação mostra a resiliência da rede após uma queda repentina no ano passado. “O desgaste e a recuperação total de uma queda de mais de 50% devido à proibição da mineração pelo país com mais poder no ramo foi um marco importante para a resiliência da rede”, disse Jameson Lopp, fundador da carteira digital Casa e desenvolvedor da rede Bitcoin em uma publicação no Twitter na noite de domingo, 2.

De acordo com dados mais recentes, a hashrate do blockchain do bitcoin está em aproximadamente 189 exahashes por segundo na manhã desta segunda-feira, 3, .

Texto traduzido por Mariana Maria Silva e republicado com autorização da Coindesk

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok