Future of Money

14% dos adultos nos EUA já utilizaram o ChatGPT; veja principais usos

Pesquisa mostra que usuários com menos de 50 anos consideraram a ferramenta mais útil

ChatGPT foi lançado para o público em 30 de novembro de 2022 (Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket/Getty Images)

ChatGPT foi lançado para o público em 30 de novembro de 2022 (Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket/Getty Images)

João Pedro Malar
João Pedro Malar

Repórter do Future of Money

Publicado em 12 de junho de 2023 às 14h37.

Última atualização em 12 de junho de 2023 às 17h18.

Uma pesquisa divulgada pela empresa Pew Research Center apontou que 14% dos adultos que vivem nos Estados Unidos já usaram o ChatGPT pelo menos uma vez desde o seu lançamento, em novembro de 2022. Ao mesmo tempo, 58% afirmaram que já ouviram falar da ferramenta, mostrando como a popularidade do chat disparou recentemente.

A pesquisa, realizada no mês de março, mostra que, em geral, os homens receberam mais informações sobre a inteligência artificial que as mulheres: 67% já ouviram falar sobre a ferramenta, ante 49% do público feminino. O levantamento também apontou diferenças em relação à idade, renda, nível educacional e etnia.

Em geral, os respondentes que se identificam como asiáticos foram os que mais ouviram falar sobre o ChatGPT, com 77% dos entrevistados. Eles foram seguidos por brancos (59%), hispânicos (52%) e negros (49%). Na divisão por renda, os mais ricos foram os que mais ouviram falar da ferramenta (76%), seguidos pelos de classe média (59%) e mais pobres (44%).

Considerando a escolaridade, os entrevistados com pós-graduação foram os que mais se informaram sobre a inteligência artificial, com 79% de respostas positivas. Já os que cursaram até o ensino médio tiveram a menor taxa de resposta, com 41% do grupo com conhecimento sobre a ferramenta.

Usos do ChatGPT

Os 58% que já ouviram falar do ChatGPT foram então questionados se eles já usaram em algum momento a ferramenta. Em média, 14% desses entrevistados já usaram o projeto da OpenAI, com três casos de uso analisados: para entretenimento, para aprender algo novo e para fazer tarefas no trabalho.

O levantamento mostra que o principal uso no momento por usuários dos Estados Unidos é para entretenimento, com 19% dos entrevistados citando esse uso. Em seguida, há a utilização para aprendizado, com 14% dos entrevistados, e para tarefas no trabalho, com 12%.

O estudo também mostra que, em geral, os homens usam mais o ChatGPT que as mulheres. A diferença é maior para entretenimento (23% ante 13%) e aprendizado (17% e 11%), mas menor para uso no trabalho (13% ante 12%). Há, ainda, diferenças nas formas de uso ao considerar a etnia e a idade.

Segundo o Pew Research Center, os entrevistados brancos usam mais a inteligência artificial para entretenimento (15%), enquanto negros, hispânicos e asiáticos têm mais usos para aprender algo novo e para realizar tarefas no trabalho. Em geral, os asiáticos são o grupo que mais usa o chat, seguido por hispânicos e negros, mostrando que, apesar dos brancos ouvirem falar mais do recurso, isso não se traduziu em um uso maior.

A pesquisa também questionou os 14% que já usaram o ChatGPT sobre a satisfação com a ferramenta. Desse grupo, 15% acharam a ferramenta "extremamente útil", 20% "muito útil", 39% "razoavelmente útil", 21% "não muito útil" e 6% "sem nenhuma utilidade". Na divisão por faixa etária, os entrevistados abaixo de 50 anos acharam o chat mais útil que os acima de 50 anos, mostrando uma divisão de satisfação por idade.

yt thumbnail

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | Tik Tok

Acompanhe tudo sobre:Inteligência artificialChatGPT

Mais de Future of Money

Quatro criptomoedas com 'narrativas explosivas' para estudar agora

Lei de Inovação Financeira e Tecnologia para o Século 21: o que é e quais os impactos?

A revolução dos ativos digitais: uma análise das recentes mudanças no mercado de criptomoedas

Gigantes de Wall Street "financiam a poluição do bitcoin", diz Greenpeace

Mais na Exame