Esporte

Com crescimento superior a 360%, ramo de apostas esportivas é o mais forte do futebol brasileiro

95% das equipes do Brasileirão Série A contam com patrocínio do setor

Apostas esportivas: Na elite do futebol brasileiro, 19 dos 20 times recebem apoio do segmento (SeventyFour/Getty Images)

Apostas esportivas: Na elite do futebol brasileiro, 19 dos 20 times recebem apoio do segmento (SeventyFour/Getty Images)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 13 de setembro de 2023 às 15h01.

De acordo com um levantamento publicado neste ano pela Datahub, o ramo de apostas esportivas aumentou 360% no Brasil. Entre 2020 e 2022, o número de empresas abertas do setor por ano cresceu de 51 para 239. Somente nos primeiros três meses de 2023, mais de 60 companhias da categoria surgiram. Na elite do futebol brasileiro, 19 dos 20 times recebem apoio do segmento.

Atualmente, América-MG, Athletico-PR, Atlético-MG, Bahia, Botafogo, Corinthians, Coritiba, Cruzeiro, Flamengo, Fluminense, Fortaleza, Goiás, Grêmio, Internacional, Palmeiras, Red Bull Bragantino, Santos, São Paulo e Vasco contam com patrocínios de casas de apostas. A única equipe da Série A do Brasileirão que não possui acordo comercial com empresas do ramo é o Cuiabá, que já manifestou o interesse em receber aportes do segmento.

Fique por dentro das últimas notícias no Telegram da Exame. Inscreva-se gratuitamente

Marcos Sabiá, CEO do Galera.bet, comenta sobre a força do futebol brasileiro e o patrocínio da empresa ao maior torneio da modalidade no país: “Entendemos que o setor de apostas esportivas é parte relevante do ecossistema do esporte e por isso deve contribuir para o desenvolvimento do futebol no Brasil sob os melhores princípios de governança e integridade. Por conta disso, além de patrocinarmos o Brasileirão, principal competição nacional, também apoiamos clubes e diversas torcidas espalhadas por todo o país promovendo valores essenciais à promoção do esporte de forma íntegra e responsável".

Crescimento

O fenômeno do crescimento das casas de apostas acontece depois da Lei 13.756 de dezembro de 2018. Atualmente, o governo promete regular o mercado com o objetivo de implementar regras mais claras e transparentes para as apostas por quota fixa. Segundo o Ministério da Fazenda, a medida será positiva para todos os envolvidos na operação e poderá gerar entre R$ 6 bilhões e R$ 12 bilhões para o país.

“O vigoroso crescimento do setor de apostas não apenas contribui para o desenvolvimento financeiro dos clubes de futebol, mas também tem o potencial de elevar o perfil do esporte como um todo no Brasil. Essa expansão propicia um novo e robusto fluxo de receita para os clubes, permitindo investimentos em infraestrutura, desenvolvimento de jogadores e até mesmo a aquisição de atletas de renome”, diz Cristiano Maschio, CEO da Qesh.

Marcos Araujo, CEO da PlayGreen, empresa de apostas esportivas que também conta com serviço de cassinos online, explica sobre o crescimento do setor no Brasil: “O ramo de apostas tem evoluído bastante no país. Esse fenômeno ocorre pois há uma união de dois temas que atraem o povo brasileiro - esporte e bets. Com os altos índices de sucesso apresentados, creio que este segmento deve se consolidar cada vez mais no mercado”.

Apostas a partir de R$ 1, saque rápido, diferentes tipos de apostas, como múltiplas, dupla chance, simples, quantidade de gols, qual time marca primeiro, escanteios e determinada ação de um jogador específico, estão entre as amplas opções de bets oferecidas.

Fábio Wolff, especialista em marketing esportivo e fundador da Wolff Sports, analisa a evolução dos acordos comerciais entre os times do futebol nacional e as empresas do ramo de apostas esportivas: “Este é o setor que mais investe no maior esporte do país, gerando um valor que se for bem administrado pelos times levará incontáveis vantagens a todos os envolvidos”.

Acompanhe tudo sobre:Apostas esportivasFutebol

Mais de Esporte

Cássio está oficialmente fora do Corinthians, diz CEO do clube

Golfista americano ultrapassa Messi no ranking dos atletas mais bem pagos; veja a lista

GP da Emilia-Romagna de F1 2024: horários e onde assistir ao vivo

Brasil será sede da Copa do Mundo Feminina de 2027

Mais na Exame