ESG

Transição energética exigirá US$ 4 trilhões por ano até a próxima década, estima BlackRock

No ano passado, foram investidos US$ 1,8 trilhão em projetos relacionados à transição energética

BlackRock diz que setores público e privado precisarão aumentar investimentos na transição energética (Germano Lüders/Exame)

BlackRock diz que setores público e privado precisarão aumentar investimentos na transição energética (Germano Lüders/Exame)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 22 de abril de 2024 às 11h55.

Última atualização em 22 de abril de 2024 às 19h46.

A BlackRock estima que a transição mundial da energia verde exigirá US$ 4 trilhões por ano até meados da década de 2030, exigindo mais parcerias público-privadas, especialmente na região Ásia-Pacífico.

A previsão vem do último "Cenário de Transição do Instituto de Investimentos" da BlackRock, que analisa como a transição de baixo carbono provavelmente ocorrerá e seu impacto potencial sobre os portfólios.

Segundo informações da CNBC, o valor de US$ 4 trilhões é o dobro das expectativas anteriores anuais e exigirá aumentos de capital dos setores público e privado, de acordo com Michael Dennis, diretor de Estratégia de Alternativas e Mercados de Capital da APAC na BlackRock.

"A APAC está realmente no centro da oportunidade de investimento em energia, e vemos isso em várias áreas, tanto em mercados desenvolvidos quanto em mercados emergentes", disse Dennis, falando na Semana de Ecosperidade anual de Cingapura na semana passada.

No ano passado, foram investidos US$ 1,8 trilhão em projetos relacionados à transição energética - em 2004, esse número foi de US$ 33 bilhões -, com cerca de US$ 19 trilhões investidos até o momento, de acordo com dados compilados pela BlackRock.

"Essa taxa de crescimento e o montante de capital investido estão na direção certa", disse Dennis, que é responsável pelos negócios alternativos da BlackRock na região, incluindo infraestrutura, fundos de hedge e private equity.

"No entanto, embora o investimento tenha aumentado, ainda há uma lacuna de US$ 18 trilhões para chegarmos onde precisamos até 2030", acrescentou.

"Além disso, precisamos ver uma mudança de política em relação ao preço da energia e à desregulamentação dos mercados de energia", disse Dennis, acrescentando que, nos mercados emergentes, espera-se que cerca de 60% do capital necessário venha do setor privado.

Uma pesquisa da BlackRock com 200 investidores no ano passado constatou que 56% planejam aumentar as alocações de transição energética nos próximos 3 anos, sendo que 46% disseram que navegar na transição é sua prioridade de investimento mais importante no mesmo período.

Acompanhe tudo sobre:ESGEnergiaEnergia renovávelBlackRock

Mais de ESG

Rede de hotéis reverte 20 anos de perdas em Sauípe com ESG; agora, estrutura metas para expandir

Desastres naturais impactam as finanças de um em cada cinco adultos nos EUA

Com aporte de R$ 10,2 mi da JBS, projeto lança CRA para escalar pecuária regenerativa

Gases de efeito estufa contaminam os oceanos, diz tribunal da ONU a favor de 9 Estados insulares

Mais na Exame