ESG

Peugeot pagará 10 mi de euros por suposta fraude em emissões de diesel

A companhia nega as acusações, mas diz que vai cooperar com o judiciário do país europeu para "resolver o assunto com celeridade"

PSA Peugeot (Chris Ratcliffe/Bloomberg)

PSA Peugeot (Chris Ratcliffe/Bloomberg)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 11 de junho de 2021 às 10h11.

A Peugeot, subsidiária da Stellantis, pagará 10 milhões de euros por responder a um inquérito criminal na justiça francesa que investiga uma suposta fraude da montadora em emissões de diesel de seus veículos entre 2009 e 2015. A companhia nega as acusações, mas diz que vai cooperar com o judiciário do país europeu para "resolver o assunto com celeridade".

A Exame Academy lançou um curso sobre ESG -- práticas ambientais, sociais e de governança. Conheça agora.

Segundo comunicado emitido pela Stellantis, do total a ser pago à Justiça da França, como parte do rito processual local, oito milhões serão destinados à quitação de potenciais danos e dois milhões visam assegurar a representação da empresa em tribunal. Além disso, a Peugeot terá de constituir uma reserva bancária de 30 milhões de euros para eventual indenização de prejuízos.

Representantes da Citroën e da FCA, outras duas subsidiárias da Stellantis, também foram intimados a comparecer no Tribunal Judicial de Paris, em 10 de junho e 10 de julho, respectivamente no âmbito da mesma investigação.

"Essa etapa formal da investigação judicial permitirá que as partes investigadas tenham pleno acesso ao processo e lhes dará a oportunidade de se defenderem de alegações que ainda não foram avaliadas em processos com direito ao contraditório", diz a Stellantis, na nota. "As empresas acreditam firmemente que seus sistemas de controle de emissões atenderam a todos os requisitos aplicáveis nos momentos relevantes e continuam a fazê-lo e aguardam a oportunidade de demonstrar isso", acrescenta.

Fique por dentro das principais tendências das empresas ESG. Assine a EXAME.

Acompanhe tudo sobre:CarrosFrançaÓleo dieselPeugeot

Mais de ESG

Energia em Foco: conheça nova plataforma de análises qualificadas e objetivas sobre a indústria

Microsoft compra 8 milhões de créditos de carbono do TIG, que investe na proteção do Cerrado

Para cumprir meta de redução de CO2, Electrolux quer ajudar clientes na economia de energia

Mais na Exame