ESG

Oportunidade Digital: transformando negócios nas favelas do Brasil

Projeto Corre Digital impulsiona negócios de favela que incorporam tecnologias digitais e busca gerar empregos. Iniciativa conta com parceria entre a Aliança Empreendedora e a Mastercard, escreve Celso Athayde

Favela de Heliópolis, em São Paulo: transformação digital pode gerar renda e empregos  (Bloomberg/Getty Images)

Favela de Heliópolis, em São Paulo: transformação digital pode gerar renda e empregos (Bloomberg/Getty Images)

Celso Athayde
Celso Athayde

CEO da Favela Holding

Publicado em 11 de abril de 2024 às 11h00.

As potencialidades que encontramos nas favelas não são mais novidade. Está mais do que provado que além dos R$ 200 bilhões movimentados em renda própria por ano, ainda há muito a ser alavancado. Isso porque há dezenas de milhares de empreendedores, com variados níveis de profissionalização, prontos para fortalecerem a expandirem seus negócios nos mais diversos setores.

Nessas andanças pela Expo Favela Innovation em todo o Brasil, pude entender mais de perto que uma das maiores necessidades para o desenvolvimento desses processos nos negócios passa pelo letramento digital e a educação sobre uso do crédito. No entanto, para os microempreendedores das favelas brasileiras, essa transformação muitas vezes parece um horizonte distante, repleto de desafios financeiros e de acesso a recursos.           

É nesse contexto que me encantei com o processo seletivo do Corre Digital, uma iniciativa que faz parte do projeto Strive, ação conjunta da Aliança Empreendedora e da Mastercard, que promete identificar e impulsionar histórias inspiradoras de transformação digital em pequenos negócios nas favelas do Brasil. Faz parte também deste projeto a plataforma educacional Tamo Junto, que já conta com 50 mil empreendedores inscritos.

O projeto tem como objetivo reconhecer e destacar aqueles microempreendedores que, de forma estratégica, incorporaram tecnologias digitais em seus negócios, redefinindo processos, ampliando sua competitividade no mercado e criando oportunidades de crescimento. O impacto dessas transformações vai além dos negócios individuais, alcançando comunidades inteiras ao gerar empregos, estimular a economia local e promover o desenvolvimento sustentável.

Para participar, os interessados devem acessar o site oficial do programa e assistir a pelo menos um dos cursos indicados, desbloqueando assim a ficha de inscrição. As etapas de seleção incluem avaliação da história de transformação digital e de impacto no negócio, considerando também a situação de vulnerabilidade do empreendedor e seu comprometimento com as atividades propostas. Os participantes selecionados terão acesso a uma série de benefícios, incluindo aceleração gratuita com conteúdos de gestão, inovação, ferramentas digitais, mentoria personalizada e até mesmo uma viagem com tudo pago para uma feira de negócio a se escolhida em breve. 

O processo seletivo não se limita apenas a reconhecer histórias de sucesso, mas também busca capacitar e preparar os empreendedores para enfrentar os desafios do mundo digital, fornecendo-lhes conhecimento prático e suporte contínuo para aplicação das habilidades adquiridas em seus negócios.

Iniciativas como essa representam um passo significativo na promoção da inclusão digital e no fortalecimento do empreendedorismo. Ao oferecer oportunidades reais de crescimento e desenvolvimento, o projeto não apenas transforma negócios, mas também vidas e comunidades inteiras.

Leia mais

Acompanhe tudo sobre:Favelas

Mais de ESG

Fórum global de favela desafia a lógica e valoriza a diversidade

Dia das Mães: apesar dos avanços, maternidade ainda é empecilho na carreira

Elas no front do Rio Grande do Sul

Precificação e a responsabilidade socioambiental do crédito de carbono

Mais na Exame