Acompanhe:

O que é lixo eletrônico e como descartar de maneira correta?

O descarte adequado de lixo eletrônico reduz os riscos associados a esse tipo de resíduo e é uma prática importante do ponto de vista ambiental

Modo escuro

Continua após a publicidade
Objetivo da parceria é contribuir com a economia circular e fortalecer sustentabilidade (Bill Varie/Getty Images)

Objetivo da parceria é contribuir com a economia circular e fortalecer sustentabilidade (Bill Varie/Getty Images)

O lixo eletrônico é um tipo de resíduo gerado pelo descarte de aparelhos eletrônicos no final de sua vida útil. No entanto, o descarte de lixo eletrônico, por ser composto de múltiplos materiais, apresenta complexidades específicas quanto ao seu manuseio, resultando em efeitos negativos à saúde humana e problemas ambientais.

Assim, este artigo assume uma perspectiva de informar sobre o que é considerado lixo eletrônico, os perigos a ele associados, os produtos químicos tóxicos envolvidos, as aplicações práticas do descarte de lixo eletrônico e as leis que regulam a sua coleta e reciclagem.

O que é lixo eletrônico?

Lixo eletrônico é todo dispositivo eletrônico descartado, como computadores, telefones celulares, aparelhos e outros equipamentos obsoletos ou danificados. 

Esses resíduos contêm uma variedade de materiais, desde plásticos e metais até substâncias químicas complexas, tornando seu descarte e tratamento adequado uma questão importante.

Quais os perigos do lixo eletrônico?

Os perigos do lixo eletrônico estão justamente no seu descarte incorreto e na presença de substâncias tóxicas que podem ser liberadas. Componentes presentes em muitos dispositivos eletrônicos representam ameaças à saúde humana e ao meio ambiente. 

A exposição a substâncias nocivas presentes nesse tipo de resíduo podem causar danos no sistema nervoso, coração, cérebro, rins, fígado e no sistema reprodutivo, além de contaminação do solo e da água. Por essa razão, o descarte de lixo eletrônico de forma correta pode amenizar esses riscos.

Substâncias tóxicas do lixo eletrônico

Os dispositivos eletrônicos contêm uma gama de substâncias tóxicas que demandam atenção e cuidados durante o descarte. Alguns exemplos são:

  • Chumbo: frequentemente encontrado em baterias e soldas, pode causar danos ao sistema nervoso;
  • Mercúrio: presente em lâmpadas fluorescentes e em alguns circuitos eletrônicos, é uma substância altamente tóxica que pode afetar o sistema renal e nervoso;
  • Cádmio: comum em baterias recarregáveis, é reconhecido como carcinogênico e pode causar danos aos rins e pulmões;
  • Bifenilos policlorados (PCBs): utilizados em equipamentos elétricos e eletrônicos, são persistentes no meio ambiente e podem causar impactos adversos à saúde e à fauna.

Como descartar o lixo eletrônico?

O descarte correto de lixo eletrônico é fundamental para minimizar os riscos ambientais e para a saúde pública. Apesar dos potenciais danos ao ambiente e aos indivíduos, a reciclagem destes itens é uma forma eficaz de reduzir drasticamente o lixo eletrônico. A seguir estão maneiras comprovadas de abordar o problema:

  • Trazer o lixo eletrônico de volta para a empresa de origem: muitas empresas que vendem itens eletrônicos possuem seu próprio centro de reciclagem. Além disso, a reciclagem lá muitas vezes dá ao cliente a opção de trocar o dispositivo por um novo por uma fração do custo;
  • Procure programas de recompra: diversas empresas instituem programas para recompra de dispositivos antigos. Esses programas são projetados para tornar o descarte do lixo eletrônico o mais simples possível para o consumidor e ambientalmente seguro.

Qual a lei para a coleta e reciclagem de lixo eletrônico?

A gestão desse resíduo é regulamentada por leis específicas, controlando o descarte incorreto de lixo eletrônico e promovendo práticas sustentáveis. No Brasil, a Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei n.º 12.305/2010) estabelece diretrizes para a gestão integrada desse tipo de resíduo, incluindo o lixo eletrônico. 

Esta legislação atribui responsabilidade comum aos fabricantes, importadores, distribuidores e consumidores quanto ao local de descarte de lixo eletrônico, bem como seus demais cuidados. 

Além disso, o Brasil possui acordos setoriais específicos relativos à logística reversa de produtos eletrônicos. Esses acordos estipulam o que fazer e como fazer, bem como a forma ambientalmente responsável de descartar o lixo eletrônico.

Em suma, o lixo eletrônico é um tema complexo que exige atenção. Aderir aos métodos de descarte de lixo eletrônico de forma responsável e seguir as leis em vigor é crucial para evitar consequências negativas e manter uma abordagem sustentável à gestão destes resíduos.

Você quer saber mais sobre proteção do meio ambiente, energia limpa e práticas sustentáveis? Acompanhe nossos outros artigos para saber mais:

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Ao custo global de R$ 3,1 tri, manejo de resíduos pode virar negócio, como o biometano brasileiro
ESG

Ao custo global de R$ 3,1 tri, manejo de resíduos pode virar negócio, como o biometano brasileiro

Há 3 dias

Paul Polman: liderança ambiental é oportunidade histórica e gera desbloqueio econômico para o Brasil
ESG

Paul Polman: liderança ambiental é oportunidade histórica e gera desbloqueio econômico para o Brasil

Há 3 dias

Prefeitura anuncia plano para transformar 11% de SP em área verde e prevê indenizações
Brasil

Prefeitura anuncia plano para transformar 11% de SP em área verde e prevê indenizações

Há uma semana

Artigo aponta necessidade de medidas urgentes para preservar Amazônia
ESG

Artigo aponta necessidade de medidas urgentes para preservar Amazônia

Há 2 semanas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais