Acompanhe:

Municípios brasileiros terão seguro de infraestrutura urbana em caso de desastre climático

Na primeira fase, o projeto, em parceria entre CNseg e Banco Alemão de Desenvolvimento, será adotado em Belo Horizonte, Recife e Salvador

Modo escuro

Continua após a publicidade
Clima: características do município servirão para personalizar as apólices (MAURO AKIIN NASSOR/FOTOARENA/Estadão Conteúdo)

Clima: características do município servirão para personalizar as apólices (MAURO AKIIN NASSOR/FOTOARENA/Estadão Conteúdo)

O aumento da temperatura do planeta têm causado muitos problemas nas cidades por causa dos desastres climáticos. O Brasil, por meio da Confederação Nacional das Seguradoras (CNseg), optou por uma parceria para buscar formas de melhorar as condições dos municípios. O acordo, assinado em Dubai, onde acontece a COP28, foi feito com a rede global Governos Locais pela Sustentabilidade, que reúne mais de 2,5 mil gestores regionais. O termo de cooperação tem o objetivo de desenvolver um mecanismo de seguro para infraestruturas urbanas em relação à incidência climática.

A cooperação envolve o projeto "Mecanismo de Seguro para Infraestruturas Urbanas" (UIIF, na sigla em inglês). O documento, assinado pelo presidente da CNseg, Dyogo Oliveira, e pelo secretário executivo do ICLEI América do Sul, Rodrigo Perpétuo, vai permitir a troca de experiências das partes para criar um programa de seguros para municípios em caso de desastres climáticos.

Inicialmente, o projeto é subsidiado pelo Banco Alemão de Desenvolvimento (KfW) e será implementado nas cidades brasileiras de Belo Horizonte, Recife e Salvador, que já têm experiência em parcerias com instituições internacionais.

"O objetivo é formar um grupo de cidades para identificar os riscos, a infraestrutura e desenvolver um desenho do produto, com as coberturas, formas de contratação e as características da apólice, e, junto com isso, atrair as empresas a participarem", informou o presidente da CNseg por meio de nota.

Em nota, Oliveira afirma que a ideia é chegar a um produto contratável pelos municípios para que estejam preparados para lidar com incidentes ligados ao clima.

Serão apresentados produtos de seguro sob medida, que devem integrar apoio à população vulnerável com necessidade de assistência de emergência, reconstrução rápida facilitada de serviços de infraestrutura crítica e assistência financeira e técnica prestada a famílias atingidas, de acordo com a CNseg. 

Também por meio de nota, Rodrigo Perpétuo, do ICLEI, diz que o objetivo é chegar a uma tipologia comum que permita escala viável a facilidades desse tipo para cidades do Brasil e do mundo.

Veja também mais notícias sobre a COP28

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Entenda o que é “bancassurance”, a união de bancos e seguradoras
Um conteúdo Bússola

Entenda o que é “bancassurance”, a união de bancos e seguradoras

Há 9 horas

Conta para conter urgência climática passa dos bilhões para trilhões de dólares
ESG

Conta para conter urgência climática passa dos bilhões para trilhões de dólares

Há uma semana

Brasil, Azerbaijão e Emirados anunciam aliança de presidências da COP
ESG

Brasil, Azerbaijão e Emirados anunciam aliança de presidências da COP

Há 2 semanas

Itaú Unibanco compra Avita e amplia atuação em seguros
seloMercados

Itaú Unibanco compra Avita e amplia atuação em seguros

Há 2 semanas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais