Acompanhe:

ES lança na COP28 programa de neutralização de emissões

O governo do estado deixará de emitir 13.200 toneladas de gás carbônico por ano ao abandonar 8 milhões de litros de combustíveis fósseis usados anualmente

Modo escuro

Continua após a publicidade
Meta: plano de neutralização de emissões prevê prazo até 2050 (Rodrigo Monteiro/Getty Images)

Meta: plano de neutralização de emissões prevê prazo até 2050 (Rodrigo Monteiro/Getty Images)

Em Dubai para participar da COP28, Renato Casagrande, governador do Espírito Santo, anunciou um pacote de medidas para a transição de combustíveis fósseis para biocombustíveis na frota pública e a neutralização das emissões de gases de efeito estufa (GEE).

O anúncio foi feito durante o evento da Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes), neste domingo 3, durante a COP28.

O Plano Estadual de Descarbonizarão e Neutralização de Gases de Efeito Estufa - parte da estratégia de mitigação do Programa Capixaba de Mudanças Climáticas prevê políticas, diretrizes e estratégias para a neutralização das emissões de GEE no Espírito Santo até 2050. O documento está disponível para consulta pública, por 30 dias.

"Anunciamos a consulta pública do nosso plano de descarbonização. Um plano feito com ajuda e colaboração de muita gente e o agora a sociedade capixaba e brasileira vai poder dar a sua contribuição com relação a esse plano", disse o governador por meio de nota.

Menos gases

Com a transição da frota estadual para biocombustíveis, o pode público deixará de emitir 13.200 toneladas de gás carbônico por ano. Hoje, o estado consome 8 milhões de litros de combustíveis anualmente. A decisão inclui veículos da administração pública estadual, incluídas as autarquias e fundações do Estado, e as contratações de serviços terceirizados. Outro decreto assinado estabelece o Governo do Estado como proponente de mercado de carbono para que se atender, especialmente, o programa reflorestar, mas também, mais tarde, o Programa Gerar.

A medida para substituição de uso dos combustíveis fósseis para biocombustíveis, inédita entre os estados brasileiros, abrange os veículos da frota da administração pública estadual, incluídas as autarquias e fundações do Estado e até mesmo as contratações de serviços terceirizados.

Será necessário até um ano para a transição da frota. Entre os combustíveis liberados estão o etanol hidratado, biodiesel, biogás, HVO (Óleo Vegetal Hidrotratado), biometano e diesel obtido a partir da cana de açúcar. Com o projeto, o Espírito Santo diz ser o primeiro estado a tomar a decisão de ter uma frota movida 100% a biocombustíveis.

Veja também mais notícias sobre a COP28

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Critérios climáticos devem pautar 45% dos financiamentos até 2030, prevê Banco Mundial
ESG

Critérios climáticos devem pautar 45% dos financiamentos até 2030, prevê Banco Mundial

Há 3 dias

Paul Polman: liderança ambiental é oportunidade histórica e gera desbloqueio econômico para o Brasil
ESG

Paul Polman: liderança ambiental é oportunidade histórica e gera desbloqueio econômico para o Brasil

Há 3 dias

Aceleração econômica só é possível ao considerar mudanças climáticas, apontam especialista em Fórum
ESG

Aceleração econômica só é possível ao considerar mudanças climáticas, apontam especialista em Fórum

Há 4 dias

BNDES e GFANZ assinam acordo para financiar projetos de transição ambiental no Brasil
ESG

BNDES e GFANZ assinam acordo para financiar projetos de transição ambiental no Brasil

Há 5 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais