ESG

Instituto Capitalismo Consciente Brasil anuncia reformulação e foco em CEOs

Apesar do reposicionamento, Daniela Garcia, CEO do Instituto, afirma que o trabalho com os públicos anteriores, como professores e consultores, continua

Daniela Garcia, CEO do Capitalismo Consciente Brasil (ICCB/Divulgação)

Daniela Garcia, CEO do Capitalismo Consciente Brasil (ICCB/Divulgação)

Marina Filippe
Marina Filippe

Repórter de ESG

Publicado em 3 de maio de 2024 às 09h20.

O Instituto Capitalismo Consciente Brasil anuncia reformulação na nomenclatura e novo posicionamento. A mudança visa uma reorientação para CEOs, com o objetivo de acelerar a transformação empresarial formando lideranças conscientes, e fortalecendo seu pilar educacional.

"Agora, como comemoração para os 10 anos de instituto, fizemos uma pesquisa com associados e todos os nossos stakeholders para entender o que as pessoas esperam do Capitalismo Consciente. Como resposta entendemos que havia uma demanda para mirar mais no público C-Level, com o intuito de capacitá-lo para entender o todo do universo ESG e assim orientar os seus negócios para os pilares do Capitalismo Consciente", diz Daniela Garcia, CEO do Capitalismo Consciente Brasil, em entrevista à Exame.

Para este ano, é criada a primeira Certificação de Liderança Consciente para C-Level e e um conteúdo de educação à distância. Para executivos, o Capitalismo Consciente está lançando a Certificação de Liderança Consciente exclusiva para C-level e CEOs, de 68 horas, além do acesso a um clube.

Apesar do reposicionamento, Garcia afirma que o trabalho com os públicos anteriores, como professores e consultores, continua. "Esse movimento não significa deixar os outros públicos de lado, entregando o tempo todo conteúdos educacionais sobre “O que é Capitalismo Consciente?” e todas as suas verticais".

Quanto às filiais regionais, nove delas permanecerão no ecossistema do Capitalismo Consciente Brasil, e já contam com mais de 200 voluntários multiplicadores em todo o país. São elas: Nordeste (que engloba todos os estados da região), e representantes de estados e municípios como Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Cuiabá, Belo Horizonte, Vitória, além de três em São Paulo, abrangendo a matriz na cidade de São Paulo, São José do Rio Preto e Campinas.

Acompanhe tudo sobre:SustentabilidadeCapitalismoESG

Mais de ESG

Da escola ao festival de música: dois exemplos de como é possível gerar menos lixo

Onde estão as mulheres nos conselhos de administração das empresas?

Ambev antecipa meta e opera com energia elétrica limpa no Brasil

Caixas de papelão são transformadas em camas para desabrigados do RS

Mais na Exame